Barroso diz que eleições de 2020 podem ter horário maior de votação

Presidente do TSE agradeceu o trabalho do Congresso, especialmente o de Rodrigo Maia, no adiamento das datas de outubro para novembro

Barroso elogiou Maia e Alcolumbre

Barroso elogiou Maia e Alcolumbre

Roberto Jayme/ASCOM/TSE - 26.05.2020

O presidente do Superior Tribunal Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, afirmou que o horário de votação neste ano pode ser maior do que em eleições anteriores.

Barroso elogiou no fim da noite de quarta-feira (1º) a aprovação no Senado do adiamento das eleições de outubro para novembro "em tempo recorde". "Acho que é uma demnstração da capacidade de díalogo da Justiça Eleitoral e do Congresso Nacional. A prova de que com interesse público e bons argumentos quase tudo é possível."

Eleições 2020: adaptações e incógnitas impostas pela pandemia

Barroso mencionou a capaciade de diálogo e de comando da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O ministro lembrou que a iniciativa do TSE de adiar a eleição foi feita após a consulta à comunidade médica, que considerou outubro um mês ainda muito arriscado para a saúde pública por causa da pandemia de covid-19.

"Pessoalmente, levei essa orientação ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e em  tempo recorde a emenda constitucional foi aprovada." 

Barroso comentou ainda as mudanças certas e as discussões que faltam para se definir como serão as eleições deste ano. "Nós aqui, do TSE, em parceria com a iniciativa privada, vamos prover toda a segurança possível para mesários e eleitorado, inclusive com alcool gel, luvas quando necessário, demarcação no chão e talvez extensão do horário. Todas as providências razoáveis e possíveis vamos tomar, nada por achismo, nós estamos ouvindo os especialistas para cada passo."

Atualmente, a votação ocorre sempre das 8h às 17h. Um horário maior permitiria, teoricamente, que se evitasse as aglomerações dos eleitores em um período ainda de combate às infecções do novo coronavírus.

As datas das eleições deste ano mudaram para 15 de novembro (primeiro turno) e 29 de novembro (segundo). Seriam, até a aprovação da PEC, realizadas em 4 e 25 de outubro.