Brasil Centro de monitoramento aponta alto risco de enchentes no Rio, MG e ES nos próximos sete dias

Centro de monitoramento aponta alto risco de enchentes no Rio, MG e ES nos próximos sete dias

Em Petrópolis, as chuvas, que já mataram mais de 60 pessoas, vão voltar nesta quarta e há chance moderada de novos deslizamentos

  • Brasil | Do R7

Ruas de Petrópolis foram tomadas pela água

Ruas de Petrópolis foram tomadas pela água

Divulgação/Defesa Civil

O Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, considera alto o risco de novas enchentes nesta quarta-feira (16) e nos próximos sete dias nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

A região serrana de Petrópolis, município devastado pelas fortes chuvas que começaram nesta terça-feira (15) e já fizeram pelo menos 66 mortos, aparece com risco moderado de novos deslizamentos.

O órgão aponta elevadas possibilidades de alagamentos por causa das chuvas no norte e no noroeste do Rio, no norte e na zona da mata de Minas Gerais e nas áreas do centro e do sul do Espírito Santo.

Segundo o Cemaden, as enchentes podem ocorrer "devido aos acumulados preexistentes, que aumentaram a umidade do solo, e à previsão meteorológica de continuidade da chuva, com pancadas ao longo do dia que podem ocorrer com forte intensidade".

O órgão acrescenta que a chuva não é passageira e deve se estender pelos próximos sete dias, "causando um acumulado médio nas bacias acima do normal histórico para o período".

Os rios mais sobrecarregados serão São Francisco, Pomba (ambos em Minas) e Muriaé (Rio).

Em Petrópolis, o Cemaden diz que a previsão é de pancadas de chuva ao longo do dia, que podem ocorrer com forte intensidade em alguns momentos e "deflagrar deslizamentos pontuais a esparsos, especialmente nas regiões de serra ou densamente urbanizadas".

Últimas