Brasil Deputado descarta prorrogação de mandatos municipais em 2020

Deputado descarta prorrogação de mandatos municipais em 2020

Vice-presidente da Câmara, Marcos Pereira defende que o adiamento do pleito, se necessário, seja para ainda este ano e com protocolos de segurança

Marcos Pereira: eleições acontecem ainda neste ano

Marcos Pereira: eleições acontecem ainda neste ano

Michel Jesus/ Câmara dos Deputados - 21.5.2019

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcos Pereira (Republicanos-SP), disse nesta segunda-feira (1º) que não existe a possibilidade de os mandatos de prefeitos e vereadores serem prorrogados até 2022, quando acontecem as eleições estaduais e federal, em razão da pandemia do novo coronavírus. 

Segundo o parlamentar, a medida seria antidemocrática. “Muitos prefeitos não têm suas respectivas gestões aprovadas. Dar mais dois anos de mandato a eles é tirar o direito do cidadão de mudar”, disse em entrevista ao grupo A Tarde, da Bahia.

Marcos Pereira explicou que os debates no Congresso Nacional e no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) visam adiar, caso necessário, o pleito deste ano — previsto para 4 de outubro — para novembro uou dezembro. 

Outra possibilidade, segundo o parlamentar, seria a adoção de protocolos de segurança, como a obrigatoriedade do uso de máscaras, a dispensa dos eleitores acima de 60 anos e de grupos de risco, o alongamento do horário de votação (das 6h às 21h) e a adoção de turnos de votação (idosos pela manhã, jovens à tarde). “E claro, manter o distanciamento entre as pessoas”, disse.

Ainda na entrevista, Marcos Pereira defendeu que a decisão seja tomada logo para que os candidatos possam se organizar. Ele se mostrou favorável a unificação das eleições no Brasil — de quatro em quatro ou de seis em seis anos —, mas desde que isso seja feito com "antecedência, previsibilidade e constitucionalidade". “Não é para agora, a toque de caixa”, finalizou.

Últimas