Brasil Ex-ministro do STJ, Paulo Medina morre aos 79 anos vítima da covid

Ex-ministro do STJ, Paulo Medina morre aos 79 anos vítima da covid

Medina exerceu cargo de ministro até aposentadoria compulsória, em 2010, quando foi destituído pelo CNJ 

Paulo Medina

Paulo Medina

Divulgação/STJ

O ex-ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Paulo Medina, morreu de covid-19 no sábado (3) em Belo Horizonte. Aos 79 anos, ele estava aposentado da Corte e não resistiu a complicações da doença. O falecimento foi comunicado pelo tribunal neste domingo (4).

Em nota de pesar, o ministro Humberto Martins, presidente do STJ, lamentou a perda.

"O Superior Tribunal de Justiça presta suas condolências à família do ministro Paulo Medina, que atuou no tribunal por nove anos. Que Deus, em sua infinita misericórdia, console a todos pela inestimável perda", diz a manifestação.

Medina assumiu a cadeira no STJ em 2001 e exerceu o cargo de ministro até a aposentadoria compulsória, em 2010, quando foi o primeiro e até hoje o único ministro da Corte destituído pelo Conselho Nacional de Justiça, na esteira de investigações sobre um suposto esquema de venda de sentenças. Na época, chamou o julgamento de "farsa".

O Supremo Tribunal Federal (STF) chegou a abrir processos sobre o caso, mas eles foram paralisados depois que a defesa de Medina alegou demência do magistrado.

O ex-ministro também foi professor em universidades públicas e particulares de Minas Gerais. Antes de seguir carreira na magistratura, primeiro como juiz e depois como desembargador do Tribunal de Justiça do Estado, foi advogado e vereador no município de Rochedo de Minas, onde nasceu.

Últimas