Brasil Fuminho estava com dois nigerianos e 15 celulares no momento da prisão

Fuminho estava com dois nigerianos e 15 celulares no momento da prisão

Criminoso mais procurado do Brasil, preso em hotel em Moçambique, também possuía 100g de maconha e o equivalente a R$ 4.000 em moeda local

  • Brasil | Do R7

Momento em que Fuminho é detido pelos agentes da polícia de Moçambique

Momento em que Fuminho é detido pelos agentes da polícia de Moçambique

Reprodução

O traficante internacional e um dos líderes do PCC Gilberto Aparecido dos Santos, o Fuminho, estava acompanhado de dois nigerianos e possuía 15 celulares no momento da prisão, em um hotel de luxo em Maputo, capital de Moçambique, na última segunda-feira (13). A informação foi divulgada pela Sernic (Serviço Nacional de Investigação Criminal), uma divisão da polícia local, nesta terça-feira (14).

Criminoso mais procurado do Brasil, Fuminho e a dupla de africanos também estavam com 100g de maconha, três passaportes, três relógios, cinco malas, uma pasta, um veículo e o equivalente a R$ 4.100 -- sendo 34.700 meticais (R$ 2.654), a moeda de Moçambique, e 5.040 randes (R$ 1.432), dinheiro da África do Sul.  

A polícia de Moçambique recebeu, das autoridades brasileiras, o alerta de que Fuminho estava foragido. Na metade de março deste ano, os agentes locais descobriram que o traficante estava em Moçambique. A prisão foi efetivada quase um mês depois, na última segunda-feira.

A Sernic informou que os dois nigerianos encontrados com Fuminho estavam em situação migratória ilegal, sem os documentos de permanência no país. Com isso, o brasileiro e a dupla de africanos vão responder, na Justiça local, pelos crimes cometidos.

Arte/R7

Últimas