Mesmo com barreiras, óleo invade praias vizinhas a Porto de Galinhas

Funcionários da Prefeitura de Ipojuca e voluntários trabalham para limpar a substância encontrada em Maracaípe, Cupe e Muro Alto

Funcionários e voluntários trabalham para retirar óleo de praia de Ipojuca

Funcionários e voluntários trabalham para retirar óleo de praia de Ipojuca

CARLOS EZEQUIEL VANNONI/AGÊNCIA PIXEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

As manchas de óleo que atingiram o litoral do Nordeste apareceram neste sábado (19) em Ipojuca, em Pernambuco. Funcionários da prefeitura, com ajuda de voluntários da sociedade civil, trabalham desde a madrugada para limpar a substância encontrada em Maracaípe, Cupe e Muro Alto, praias vizinhas a Porto de Galinhas.

A prefeitura de Ipojuca havia instalado barreiras de contenção na foz do Rio Maracaípe, para tentar minimizar o impacto ambiental no estuário – ambiente aquático de transição entre um rio e o mar – e evitar que o óleo entre no rio. Mas não foram suficientes. Agora, grupo tenta retirar a substância das praias.

Além das barreiras, os 33 quilômetros do litoral ipojucano estão sendo monitorados pela Secretaria de Defesa Social, através de 70 câmeras da Central de Monitoramento e por biólogos, oceanógrafos, engenheiros de pesca e florestal da Secretaria de Meio Ambiente. Foi montada uma tenda da Defesa Civil na Vila de Todos os Santos, no Pontal de Maracaípe, onde o QG do Comitê de Crise está instalado.

O derrame de petróleo, cuja causa é desconhecida, tem atingido praias do Nordeste desde o início de setembro e já afeta 194 pontos, do Maranhão à Bahia, além de 15 unidades de preservação.

O MPF (Ministério Público Federal) ajuizou ação contra a União, requerendo que a Justiça Federal obrigue o governo a acionar em 24 horas o Plano Nacional de Contingência para Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional (PNC). Em caso de descumprimento, a multa diária será de R$ 1 milhão.

O governo federal afirma que está tomando todas as medidas para a identificação, o recolhimento e a destinação correta do óleo que atinge o litoral do nordeste brasileiro, além das investigações para descobrir a origem do vazamento. E que as ações do PNC e do Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA) estão em pleno funcionamento.