Brasil MG pede vistoria do governo federal em barragem de risco em Nova Lima

MG pede vistoria do governo federal em barragem de risco em Nova Lima

Aproximadamente 170 pessoas que viviam em 49 casas próximas às barragens foram retiradas do local por medida de segurança

MG pede vistoria do governo federal em barragem em risco em Nova Lima

Pessoas que estavam na área vermelha do mapa foram retiradas de suas casas

Pessoas que estavam na área vermelha do mapa foram retiradas de suas casas

Divulgação/Vale

A Defesa Civil de Minas Gerais solicitou à ANM (Agência Nacional de Mineração) uma vistoria técnica in loco nas barragens B3 e B4 da Mina Mar Azul, que ficam no município de Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte.

Na noite de sábado (16), aproximadamente 170 pessoas que vivem em 49 casas próximas às barragens foram retiradas do local pelos bombeiros e defesa civil do estado.

De acordo os bombeiros, atualmente, essas barragens com rejeitos são consideradas de nível 1, mas serão modificadas para nível 2 depois que uma auditoria se negou a atestar a segurança do local — o que levou ao pedido de evacuação imediata.

Por nota, o governo de Minas Gerais afirmou que “está disponível todo o aparato logístico que se fizer necessário para celeridade da ação’.

Barragens

As barragens têm cerca de 3 milhões de metros cúbicos de rejeito em alteamento à montante. Ou seja, foram construídas com o mesmo tipo de estrutura da Barragem I da Mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho, que rompeu no fim de janeiro, em uma tragédia que caminha para ter mais de 300 mortos.

Por nota, a Vale informou que a decisão é “uma medida preventiva e se dá após a revisão dos dados dos relatórios de análise de empresas especializadas contratadas para assessorar a Vale”.

A empresa ainda afirmou que afirmou que vai prestar “toda a assistência e apoio necessários até que a situação seja normalizada”.

Proibição

A ANM (Agência Nacional de Mineração) pretende executar uma resolução para encerrar as atividades das barragens denominadas “a montante” até 15 de agosto 2021. Há 84 barragens desta modalidade em funcionamento no país, das quais 43 são classificadas de "alto dano potencial": quando há risco de rompimento com ameaça a vidas e prejuízos econômicos e ambientais