Brasil Operação Sem Fundos: Ministério Público Federal denuncia 42 pessoas

Operação Sem Fundos: Ministério Público Federal denuncia 42 pessoas

Caso envolve superfaturamento e desvio de dinheiro na construção da Torre Pituba, em Salvador (BA)

  • Brasil | Fernando Mellis, do R7

Desvios foram na ordem de R$ 140 milhões, diz MPF

Desvios foram na ordem de R$ 140 milhões, diz MPF

Edson Ruiz/Coofiav/Folhapress

O MPF (Ministério Público Federal) no Paraná denunciou 42 pessoas suspeitas de integrar um esquema de superfaturamento e desvio de dinheiro da sede da Petrobras em Salvador (BA).

Segundo o MPF, os crimes apurados são de corrupção, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, desvios de recursos de instituição financeira e organização criminosa.

A construção da Torre Pituba foi financiada pelo fundo de previdência da estatal, o Petros, e a empresa se comprometeu a alugar o espaço por 30 anos.

As fraudes no empreendimento motivaram a 56ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Sem Fundos, deflagrada no dia 23 de novembro — a primeira com mandados expedidos pela juíza Gabriela Hardt, após a saída de Sergio Moro para assumir o Ministério da Justiça.

Apuram-se desvios na ordem de R$ 140 milhões, sendo R$ 68 milhões de propina e outros R$ 69 milhões pagos a uma empresa que não realizou os serviços para o qual foi contratada.

Entre os denunciados estão três ex-presidentes da Petros — Wagner Pinheiro de Oliveira; Luís Carlos Fernandes Afonso e Carlos Fernando Costa — e outros ex-dirigentes do fundo, além de funcionários da Petrobras.

Executivos da Odebrecht, da OAS e da Mendes Pinto Engenharia também constam na denúncia do MPF.

O marqueteiro Valdemir Garreta, ligado ao PT; o ex-tesoureiro do partido, João Vaccari Neto e a cunhada dele, Marice Correa de Lima, são outros denunciados.

O R7 ainda não conseguiu contato com as defesas dos citados.

Últimas