Brasil Seis mil homens vão atuar no combate a incêndios florestais

Seis mil homens vão atuar no combate a incêndios florestais

Operação Guardiões do Bioma foi uma das ações anunciadas pelo governo para reprimir queimadas e outros crimes ambientais

Combate a queimadas é uma das prioridades do governo, segundo o ministro Joaquim Leite

Combate a queimadas é uma das prioridades do governo, segundo o ministro Joaquim Leite

Secom MT / Myke Toscano

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, anunciou nesta terça-feira (31) que 6 mil homens já estão atuando no combate a queimadas no país, como parte da operação Guardiões do Bioma. A força-tarefa vem trabalhando na prevenção, repressão e investigação de casos relacionados a incêndios florestais e outros crimes ambientais, sobretudo nos estados do Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Goiás.

"Além disso, o presidente Jair Bolsonaro dobrou os recursos para a fiscalização ambiental e já adquirimos diversos equipamentos, como aeronaves remotas e drones, o que vem fortalecendo esse trabalho", disse Leite durante entrevista coletiva para anunciar as ações do governo. Participaram da entrevista os ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, e da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres. 

Caminhão de bombeiro que será usado no Parque Nacional de Brasília

Caminhão de bombeiro que será usado no Parque Nacional de Brasília

ASCOM MMA

O ministro do Meio Ambiente afirmou, ainda, que recebeu este mês o primeiro de 15 caminhões de bombeiros especialmente desenhados para atuar nos biomas brasileiros. Foram investidos R$ 18 milhões na compra dos veículos. Os caminhões têm capacidade de 7 mil litros e são equipados com tração 4x4, mangotes laterais e bomba extra para operar mata adentro. O primeiro veículo será usado no Parque Nacional de Brasília.

Segundo Leite, o Ministério da Economia também autorizou a contratação de 700 novos funcionários para o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade).

O ministro destacou, ainda, que o sistema de monitoramento por satélite da cobertura florestal da Amazônia foi modernizado e agora é possível captar imagens com um metro de resolução e um dia de recorrência. "É uma ação bastante contundente para combater o desmatamento", afirmou.

Últimas