Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Após 8 de Janeiro, Planalto, Congresso e STF abrem as portas e recebem visitantes neste sábado

Mais de 750 pessoas visitaram os prédios públicos, localizados na capital federal, segundo contagem dos órgãos

Brasília|Plínio Aguiar, do R7 em Brasília


Rampa de acesso ao mezanino no 3º andar no Planalto
Rampa de acesso ao mezanino no 3º andar no Planalto

Após os atos de vandalismo de 8 de Janeiro, as sedes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário fizeram neste sábado (19) um esquema de visitação, em alusão ao Dia do Patrimônio Cultural, comemorado em 17 de agosto. Mais de 750 pessoas visitaram os prédios públicos, segundo contagem dos órgãos.

De acordo com o Planalto, a visitação ocorreu da seguinte forma: a cada 30 minutos, um grupo com aproximadamente 20 pessoas visitava o térreo e o segundo andar do prédio, projetado por Oscar Niemeyer. "O número máximo de 200 pessoas foi estabelecido para dar mais conforto aos visitantes", diz o governo.

A visitação faz parte do projeto 'Palácios de Portas Abertas: conhecer para proteger', que tem o objetivo de estabelecer um espaço de reflexão sobre o patrimônio histórico, artístico e cultural sob guarda do poder público, debatendo sua função, propósito e finalidade, assim como proteção e conservação.

Segundo o Planalto, "a visitação coletiva enfatiza o lugar da educação patrimonial na construção e na ampliação do conhecimento da população sobre as instituições, edifícios e coleções, de forma que cidadãos e cidadãs deles se apropriem e, assim, contribuam para sua proteção".

Publicidade

Em comunicado, o Supremo Tribunal Federal (STF) informou que recebeu 569 visitantes ao longo deste sábado. "A cada meia-hora, novas turmas eram formadas para conhecer as instalações do prédio-monumento", diz o texto, acrescentando que o horário de funcionamento foi das 9h às 17 horas.

Na Suprema Corte, os visitantes foram acompanhados de servidores do cerimonial e iniciaram o tour pelo Hall dos Bustos. Na sequência, foram ao Salão Nobre, Plenário e Salão Branco, terminando no Museu Ministro Sepúlveda Pertence. Durante o percurso, receberam informações sobre o funcionamento do tribunal, seu acervo histórico e artístico bem como os ataques de 8 de Janeiro.

Publicidade

8 de Janeiro

Em 8 de Janeiro deste ano, extremistas invadiram as sedes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. O episódio deixou um prejuízo de ao menos R$ 21 milhões ao poder público, segundo estimativas feitas pelos Três Poderes, e ocorreu por falha na operação das forças de segurança pública do Distrito Federal, de acordo com a equipe de intervenção que atuou na capital federal depois do ocorrido.

Leia também

Cerca de 1.500 pessoas foram presas pelos atos antidemocráticos de 8 de Janeiro. Em outra frente, a Advocacia-Geral da União (AGU) pediu à Justiça do Distrito Federal o aumento do valor do bloqueio cautelar de bens dos presos por vandalismo às sedes dos Três Poderes. De acordo com a solicitação, os atuais R$ 18,5 milhões bloqueados seriam aumentados para R$ 20,7 milhões. Ao menos R$ 4,3 milhões, só em veículos de pessoas e empresas envolvidas, já estão bloqueados.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.