Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Bolsonaro comemora sanção do projeto que permite laqueadura sem aval do marido

Chefe do Executivo se reuniu, na manhã desta sexta-feira (9), com deputadas federais e sancionou projeto que trata do Agosto Lilás

Brasília|Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro durante encontro com ministra e deputadas federais
O presidente Jair Bolsonaro durante encontro com ministra e deputadas federais O presidente Jair Bolsonaro durante encontro com ministra e deputadas federais

O candidato à reeleição e presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), convocou ministros e deputadas federais ao Palácio da Alvorada na manhã desta sexta-feira (9) para comemorar a sanção do projeto de lei que permite a realização de laqueadura sem aval do marido.

"Laqueadura passa de 25 para 21 anos. A mulher não precisa de autorização do marido para fazer, e o homem não precisa de autorização da esposa para fazer a vasectomia. E a laqueadura pode ser feita na hora do parto, é isso?", disse Bolsonaro.

No encontro, o presidente também sancionou o projeto que institui o Agosto Lilás, como mês de proteção à mulher. Durante o período, a União, os estados e municípios deverão promover ações de conscientização e esclarecimento sobre as diferentes formas de violência contra a mulher.

Leia também: Soraya Thronicke aciona o TSE contra discurso de Bolsonaro no 7 de Setembro

Publicidade

O chefe do Executivo estava acompanhado do ministro Célio Faria (Secretaria de Governo), da ministra Cristiane Britto (Mulher, Família e Direitos Humanos), além das deputadas federais Bia Kicis (PL-DF), Celina Leão (PP-DF), Flávia Arruda (PL-DF), Carla Dickson (União-RN) e Carmen Zanotto (Cidadania-SC).

Na última segunda-feira (5), o presidente sancionou projeto de lei que acaba com a necessidade do aval do cônjuge para procedimentos de esterilização voluntária – laqueadura, no caso de mulheres, e vasectomia para homens. A matéria dá, assim, autonomia para a mulher e para o homem decidir se vai se submeter ou não a cirurgia.

O projeto altera uma lei de 1996, que, em um trecho, agora revogado, previa que pessoas casadas precisavam do consentimento dos cônjuges. A matéria também reduziu a idade mínima para a realização do procedimento, de 25 para 21 anos. O limite mínimo de idade não é exigido àqueles que possuem ao menos dois filhos vivos.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.