Brasília CPI deve ouvir Luciano Hang após feriado de 7 de setembro

CPI deve ouvir Luciano Hang após feriado de 7 de setembro

Suspeita é que ele integrava o chamado "gabinete paralelo" que assessorava Bolsonaro com informações negacionistas

  • Brasília | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Luciano Hang, dono da Havan

Luciano Hang, dono da Havan

Foto: Lance! Galerias

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 deve ouvir o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, após o feriado de 7 de setembro. A oitiva ainda não foi marcada, mas o relator Renan Calheiros (MDB-AL) pediu nesta quinta-feira (26/8) que ele seja ouvido. A convocação de Hang já foi aprovada em junho, bastando apenas que o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), inclua na agenda. 

Os senadores suspeitam que Hang tenha atuado junto ao chamado "gabinete paralelo" que assessorava o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com informações negacionistas no âmbito da pandemia. 

"Era um notório membro do gabinete paralelo, em comum acordo com o [Carlos] Wizard, que também exerceu o cargo no Ministério da Saúde sem formalidade. O depoimento dele é muito importante para que esta comissão conheça e o Brasil conheça também o submundo que essa gente criou ao sair do negacionismo para tentar comprar vacinas com fraude, com roubalheira para o povo brasileiro, enquanto o povo brasileiro morria", afirmou o relator.

Calheiros quer entregar o relatório final até a segunda quinzena de setembro. 

Últimas