Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

DF registra 1,1 mil denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes em três anos

Estupro de vulnerável e abuso psicológico são as principais ocorrências; vítimas são meninas de 10 a 17 anos

Brasília|Iasmim Albuquerque*, do R7, em Brasília


2023 foi o ano com o maior registro de ocorrências
2023 foi o ano com o maior registro de ocorrências Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Distrito Federal registrou 1.147 denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes de 2021 a 2023, segundo o Ministério de Direitos Humanos e Cidadania. Do total, 762 menores de idade foram vítimas de estupro e 313 sofreram abuso psicológico. Segundo a pasta, a maioria das vítimas eram meninas de 10 a 17 anos.

O período com mais ocorrências de violência sexual, com teor físico e psicológico, ocorreu no primeiro semestre de 2023. Ao todo, foram 243 casos, totalizando 477 denúncias no fim do ano. Na maioria das ocorrências, familiares ou pessoas do convívio eram os principais suspeitos.

Especialistas explicam que a violência sexual pode gerar sequelas e traumas para toda a vida, como ansiedade e depressão. A titular da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente, Francine Procópio, alerta que é importante ouvir os menores.

Precisamos dar voz às nossas crianças e adolescentes. Temos que escutá-los! Eles são muito verdadeiros, por isso, precisamos estar muito atentos ao que falam.

(Francine Procópio, titular da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente)

Dados Nacionais

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, entre os 204 milhões de crianças com menos de 18 anos, 9,6% enfrentam exploração sexual, 22,9% são alvo de abuso físico e 29,1% sofrem danos emocionais. Os dados indicam que, a cada 24 horas, 320 crianças e adolescentes são vítimas de exploração sexual no Brasil.

Publicidade

Em 2023, a organização não governamental Safernet divulgou que as denúncias de abuso e exploração sexual infantil na internet bateram recorde no Brasil com 71.867 queixas. 

Segundo a ONG, fatores como as demissões em massa realizadas pelas big techs, que atingiram as equipes de segurança e moderação de conteúdo de algumas plataformas, a proliferação da venda de imagens de nudez autogeradas por adolescentes e o uso de inteligência artificial para a criação de conteúdo com teor sexual motivaram o aumento das denúncias.

Publicidade
Primeiro de tudo, é importante denunciar, mesmo que diante do menor indício, pois isso culmina no trabalho policial, que é investigar. Se qualquer indício, por menor que seja, for identificado, denuncie.

(Francine Procópio, titular da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente)

Canais de denúncia

• Disque 100 - Ministério dos Direitos Humanos e Cidadania

• Disque 125 - Coordenação de Denúncias de Violação dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cisdeca)

• Disque 190 - Polícia Militar do DF

• Disque 197 - Disque Denúncia da Polícia Civil do DF

*Sob supervisão de Fausto Carneiro

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.