Eleições 2022

Brasília João Doria não irá a Brasília para se reunir com cúpula do PSDB

João Doria não irá a Brasília para se reunir com cúpula do PSDB

Executiva Nacional do partido havia marcado uma reunião nesta quarta (18) para tentar demover ex-governador de candidatura

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Tucano alegou compromissos pré-agendados em sua agenda em São Paulo

Tucano alegou compromissos pré-agendados em sua agenda em São Paulo

Governo do Estado de São Paulo - 10.02.2022

Após a Executiva Nacional do PSDB marcar uma reunião para convencer João Doria de desistir da candidatura à Presidência da República nas eleições deste ano, o ex-governador paulista não irá a Brasília nesta quarta-feira (18) para se encontrar com a cúpula do partido.

A reportagem apurou que o tucano alegou compromissos pré-agendados em São Paulo. "O Brasil precisa de uma via de diálogo, de razão, de preocupação com os brasileiros. O Brasil tem jeito", escreveu Doria nas redes sociais.

A reunião da Executiva Nacional do PSDB desta terça-feira (17) acabou adiando a decisão do partido de ter ou não um nome para concorrer à Presidência. No encontro, o grupo marcou uma outra reunião, desta vez com Doria, antes de tomar a decisão. O encontro durou mais de quatro horas e contou com 38 parlamentares das bancadas da Câmara dos Deputados e do Senado.

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, afirmou que o diálogo seguirá nesta quinta-feira (19), quando haverá a apresentação de uma pesquisa encomendada em conjunto pelo partido com o MDB e o Cidadania para saber qual nome mais agrada ao eleitor: o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) ou a senadora Simone Tebet (MDB).

"Isso é um convite para que, rapidamente — a expectativa é de que isso pode acontecer, eventualmente, até amanhã —, um grupo representativo da Executiva possa ter também uma conversa com nosso pré-candidato João Doria, tendo ele como partícipe e condutor dessa construção, como nosso candidato apresentado na aliança com o MDB e o Cidadania", avaliou Araújo.

Membros da Executiva Nacional, como Aécio Neves, ressaltaram o entendimento de que a retirada da candidatura de Doria seria o melhor caminho para o partido, como um "gesto de grandeza", nas palavras de Aécio.

Conforme os presidentes Baleia Rossi (MDB), Bruno Araújo (PSDB) e Roberto Freire (Cidadania) decidiram, os resultados das pesquisas de opinião devem balizar a escolha de um candidato único das legendas para as eleições de outubro deste ano. Atualmente, Doria e Tebet pleiteiam a candidatura.

A expectativa é de que os partidos se reúnam nesta quarta na sede do MDB, em Brasília. A promessa era de que as legendas apresentassem o representante da chamada "terceira via" neste dia 18, mas, diante do impasse, o ato deve marcar apenas a apresentação do levantamento.

"Os parâmetros iniciais foram propostos pelo MDB e aprimorados pelos presidentes das demais agremiações. Serão agora apresentados à aprovação das instâncias partidárias e aos postulantes à Presidência para que, em curto prazo, seja apresentado ao povo brasileiro um projeto democrático que aglutine esperança no futuro do país", informou o PSDB no início deste mês.

Últimas