Brasília Ônibus com militantes não podem entrar no DF até 31/1; veja outras mudanças

Ônibus com militantes não podem entrar no DF até 31/1; veja outras mudanças

Ministro Alexandre de Moraes, do STF, ordenou a proibição após os prédios dos Três Poderes da República serem invadidos em Brasília

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Manifestantes chegam ao acampamento em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília

Manifestantes chegam ao acampamento em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília

WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

Ônibus e caminhões com manifestantes estão proibidos de entrar no território do Distrito Federal até o dia 31 de janeiro. A determinação é uma das medidas adotadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no início da madrugada desta segunda-feira (9). A ordem ocorreu após a depredação causada nos prédios do STF, do Palácio do Planalto e do Congresso Nacional neste domingo (8).

• APREENSÃO DE ÔNIBUS: Moraes determinou também a apreensão e o bloqueio de todos os ônibus identificados pela Polícia Federal que transportem vândalos para o DF. Segundo a decisão, os proprietários deverão ser identificados e ouvidos em 48 horas, apresentando a relação e a identificação de todos os passageiros.

• AFASTAMENTO DO GOVERNADOR: o ministro também mandou afastar o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB). Na decisão, Moraes cita que Ibaneis não tomou as atitudes necessárias para conter o vandalismo em Brasília e que a movimentação já era conhecida antecipadamente. O cargo foi assumido pela vice-governadora, Celina Leão (PP), que afirmou que Ibaneis recebeu "informações equivocadas" e não teve participação nos atos de vandalismo.

• INTERVENÇÃO FEDERAL: o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou no último domingo (8) um decreto que determina a intervenção federal na área de segurança no Distrito Federal. O texto foi aprovado pela Câmara dos Deputados nesta segunda-feira (9) e segue agora para apreciação do Senado. Caso também seja aprovado, valerá até o dia 31 de janeiro.

Veja abaixo imagens da destruição causada no Palácio do Planalto, no Congresso e no STF:

Autonomia do Governo do DF

A intervenção federal é uma medida de caráter excepcional e temporária, prevista na Constituição Federal, que afasta a autonomia do Governo do Distrito Federal. A decisão foi tomada pelo presidente após os protestos extremistas no centro da capital.

STF com sessão virtual extraordinária

Plenário do Supremo Tribunal Federal, em Brasília

Plenário do Supremo Tribunal Federal, em Brasília

SCO/STF - Arquivo

Diante da destruição causada no edifício-sede do STF, sobretudo na área do plenário (onde os ministros se reúnem para julgamentos), a presidente do Supremo, ministra Rosa Weber, determinou a convocação de uma sessão virtual extraordinária.

O espaço ficará aberto de forma permanente durante o recesso (das 18h do dia 9/1 às 23h50 do dia 31/1). A medida permitirá julgamentos colegiados que se façam necessários durante o período. Por enquanto, não há processos pautados na sessão.

Plenário do STF após destruição dos manifestantes

Plenário do STF após destruição dos manifestantes

Alex Rodrigues/Agênica Brasil

Nesta segunda, a Polícia Federal fez uma perícia técnica no prédio do STF. "Já foi realizada a perícia externa, 3D e com drones, e nesta tarde foi iniciado o trabalho de perícia interna. Não há previsão de conclusão neste momento", destacou a polícia.

Como apenas o edifício-sede foi vandalizado, o funcionamento nos anexos 1 e 2 não foi interrompido. Apenas após o fim da varredura é que o Supremo começará a catalogar os estragos e a quantificar os prejuízos, sem data prevista para a conclusão.

Últimas