Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Polícia prende terceiro suspeito de envolvimento em caso de corpos carbonizados

Preso é Fabrício Silva Canhedo, de 34 anos; ele teria vigiado família mantida em cativeiro em Planaltina antes da execução

Brasília|Karla Beatryz*, do R7, em Brasília


Carro carbonizado encontrado em Unaí (MG), Entorno do DF
Carro carbonizado encontrado em Unaí (MG), Entorno do DF

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, nesta terça-feira (17), o terceiro suspeito de envolvimento no desaparecimento de oito pessoas da família da cabelereira Elizamar da Silva, de 39 anos. O suspeito foi identificado como Fabrício Silva Canhedo, de 34 anos. O homem teria sido o responsável por vigiar as vítimas que foram mantidas em cativeiro, em Planaltina (DF). 

Os outros dois suspeitos, Gideon Batista de Menezes, de 55 anos, e Horácio Carlos Ferreira, de 49, foram presos na tarde desta terça-feira (17). Eles estão detidos na 6ª Delegacia de Polícia Civil (Paranoá).

Segundo a apuração da Record TV, Gideon Batista e Horárcio Carlos eram amigos da família e trabalhavam em uma agropecuária com Marcos Antônio, sogro da cabeleireira, que continua desaparecido. Horácio disse à polícia que Thiago Gabriel e Marcos Antônio, respectivamente, marido e sogro de Elizamar, teriam encomendado a morte dos seis familiares.

De acordo com a Polícia Civil, os homens receberam R$ 100 mil para executar os crimes. Eles teriam dito, também, que Elizamar e os filhos foram atraídos para o Paranoá e, de lá, a família foi amarrada e levada para fora do DF. Na rodovia, a mulher e os filhos foram sufocados e, depois, o carro foi queimado com os corpos dentro. 

Publicidade
Objetos encontrados em cativeiro em Planaltina, no Distrito Federal
Objetos encontrados em cativeiro em Planaltina, no Distrito Federal

Quando Elizamar e os filhos foram mortos, a sogra da cabelereira e mãe de Thiago Gabriel, Renata Belchior, e a filha dela, Gabriela Belchior, já eram mantidas em cárcere privado, em Planaltina. Elas teriam ficado lá por cinco dias, depois foram levadas para Unaí (MG), Entorno do DF, onde teriam sido sufocadas e mortas. A dupla também ateou fogo no veículo com os corpos.

Os suspeitos afirmam que os crimes foram motivados por um interesse financeiro de Thiago Gabriel e Marcos Antônio. Eles foram presos e responderão pelos crimes de "extorsão mediante sequestro qualificado pelo resultado morte".

Publicidade

A corporação afirmou que as investigações vão continuar para que os depoimentos sejam confirmados ou não. Thiago e Marcos já tinham passagens criminais, e a polícia trabalha para que eles sejam localizados.

Entenda o caso

O filho mais velho de Elizamar registrou um boletim de ocorrência de desaparecimento na 33ª Delegacia de Polícia Civil no último sábado (14). De acordo com o relato, a cabeleireira foi vista com os filhos pequenos pela última vez na casa da sogra, no Condomínio Residencial Novo Horizonte, no Itapoã, na quinta-feira (12).

Elizamar da Silva, 39 anos, foi vista pela última vez com três filhos na quinta-feira (12)
Elizamar da Silva, 39 anos, foi vista pela última vez com três filhos na quinta-feira (12)

Conforme o depoimento, o veículo de Elizamar entrou no local por volta de 22h de quinta-feira e saiu no dia seguinte. Ainda segundo o filho de Elizamar, o atual companheiro da empresária, Thiago, teria informado a terceiros que teve um "desentendimento" com a cabeleireira e que ela teria ido embora com as crianças.

Apesar de ter a agenda cheia, Elizamar não foi trabalhar no salão desde então. O filho mais velho informou à polícia que, pelo registro de localizações do celular da cabeleireira, é possível ver que a última localização foi na BR-260, na altura do Paranoá.

*Estagiária sob supervisão de Fausto Carneiro

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.