Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Sete curiosidades sobre Rosa Weber, a nova presidente do STF

Saiba fatos curiosos sobre a vida da ministra que vai comandar o Poder Judiciário do país no próximo período de um ano

Brasília|Emerson Fonseca Fraga, do R7, em Brasília


Ministra Rosa Weber durante sessão de despedida do ministro Luiz Fux da presidência do STF
Ministra Rosa Weber durante sessão de despedida do ministro Luiz Fux da presidência do STF

Nesta segunda-feira (12), às 17h, toma posse como presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber. Ele é ministra da Corte desde 19 de dezembro de 2011. Rosa vai presidir o Poder Judiciário do país até 2 de outubro de 2023. O curto prazo à frente do tribunal se deve ao fato de que ela se aposenta compulsoriamente na data — seu aniversário de 75 anos. A ministra deve ser substituída no comando do STF pelo seu vice-presidente, Luís Roberto Barroso.

Confira sete curiosidades sobre a trajetória da jurista:

1 — Rosa Maria Pires Weber é nascida em Porto Alegre. Torcedora do Sport Club Internacional, ela tem 73 anos e nasceu em 2 de outubro de 1948.

2 — É filha do médico José Júlio Martins Weber e da pecuarista Zilah Bastos Pires. Foi casada com o procurador aposentado do estado do Rio Grande do Sul Telmo Candiota da Rosa Filho, com quem tem dois filhos.

Publicidade

3 — Foi aprovada em primeiro lugar no vestibular para o curso de Ciências Jurídicas e Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFGRS) em 1967. É fluente em francês. Concluiu o curso superior como primeira aluna da turma e foi laureada na formatura.

4 — Seu primeiro emprego foi como auxiliar de Protocolo da Inspetoria Seccional do Ministério da Educação em Porto Alegre, em 1968. Depois, ela foi assistente superior da Secretaria da Administração do Estado do Rio Grande do Sul (1974 e 1975) e inspetora da Delegacia Regional do Trabalho do Estado do Rio Grande do Sul (1975 e 1976). Rosa entrou para a magistratura em 1976, como juíza do trabalho substituta. Ela passou no concurso para o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-4), com sede em Porto Alegre.

Publicidade

5 — Tornou-se ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) depois de ser indicada pela presidente Dilma Rousseff e ter o nome aprovado em sabatina no Senado por 57 votos favoráveis, 14 contrários e uma abstenção.

6 — Foi a primeira juíza do trabalho de carreira e a terceira mulher a ocupar o cargo de ministra do STF — depois de Ellen Gracie Northfleet e Cármen Lúcia Antunes Rocha, ambas também ex-presidentes da Corte.

7 — Foi presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de 2018 a 2020. Comandou as últimas eleições gerais brasileiras.

Leia também

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.