Diário Digital Indústria fecha setembro com produção em estabilidade e perspectiva de crescimento

Indústria fecha setembro com produção em estabilidade e perspectiva de crescimento

Em setembro, 74% das empresas reportaram crescimento ou no mínimo estabilidade na produção industrial na comparação com o mês anterior, segundo a Sondagem Industrial, levantamento elaborado pela Coordenação da Unidade de Pesquisa da FIEMS (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul). Segundo Ezequiel Resende Martins, economista coordenador do setor, com esse desempenho […] O post Indústria fecha setembro com produção em estabilidade e perspectiva de crescimento apareceu primeiro em Diário Digital.

Em setembro, 74% das empresas reportaram crescimento ou no mínimo estabilidade na produção industrial na comparação com o mês anterior, segundo a Sondagem Industrial, levantamento elaborado pela Coordenação da Unidade de Pesquisa da FIEMS (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul).

Segundo Ezequiel Resende Martins, economista coordenador do setor, com esse desempenho o índice de evolução da produção encerrou o mês em 50 pontos, ficando estável em relação à média histórica obtida para setembro.

Com relação ao uso da capacidade instalada das indústrias, 62% dos empresários relataram níveis iguais ou superiores ao habitual para o mês. Quanto à utilização média da capacidade total da produção, o índice apurado foi de 70%.

Baseada na avaliação feita pelos respondentes da sondagem, a atividade industrial segue em patamar satisfatório e com perspectiva de melhora. De acordo com o economista da FIEMS, os empresários mantêm a confiança em alta pelo crescimento nas vendas.

“Em relação às expectativas para os próximos seis meses, todos os indicadores avaliados seguem positivos, ou seja, os empresários industriais de Mato Grosso do Sul esperam crescimento da demanda por seus produtos, aumento das contratações e exportações”.

Matéria-prima e mão de obra - Segundo o levantamento, a falta ou o alto custo das matérias-primas foi a maior dificuldade enfrentada pelos industriais no terceiro trimestre de 2021, com 57,4% dos respondentes apontando para esse fator.

Isso tem despontado na sondagem como principal problema das indústrias desde o final de 2020, superando a queixa habitual dos empresários com relação à elevada carga tributária (27,9% dos entrevistados).

Em seguida aparecem as dificuldades em contratar trabalhadores qualificados (26,5%), outro fator que nos levantamentos anteriores não aparecia entre os principais problemas da indústria.

Segmentos com empresas pesquisadas - Produtos alimentícios, produtos de material plástico, produtos têxteis, produtos de metal, confecção de artigos do vestuário e acessórios, produtos minerais não metálicos, metalurgia, extração de minerais não metálicos, biocombustíveis, químicos, máquinas, aparelhos e materiais elétricos, máquinas e equipamentos, produtos de borracha, bebidas, calçados, produtos de madeira, impressão e reprodução de gravações, produtos de limpeza, produtos farmoquímicos, móveis, manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos e produtos diversos.

Perfil da amostra - A amostra é composta por 68 empresas (3,5% da amostra nacional). São 35 pequenas, 27 médias e seis grandes. São consideradas empresas pequenas as que têm entre dez e 49 empregados; média de 50 a 249 empregados; e as que empregam 250 trabalhadores ou mais. A coleta foi feita no período de 1.º a 15 de outubro de 2021.

O post Indústria fecha setembro com produção em estabilidade e perspectiva de crescimento apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas