Folha Vitória Ainda isolado, indiano que testou positivo para a covid aparece em sacada de hotel e afirma que está bem

Ainda isolado, indiano que testou positivo para a covid aparece em sacada de hotel e afirma que está bem

Além do indiano que testou positivo, os dois colegas da mesma nacionalidade também estão isolados no local, em quartos diferentes

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O indiano que testou positivo para a covid-19 continua isolado no hotel de Jardim Camburi, em Vitória. Na manhã desta segunda-feira (31), ele apareceu na sacada e contou à equipe de reportagem da TV Vitória/Record TV, que está bem, mas ainda apresenta alguns sintomas da covid-19. 

Os dois colegas da mesma nacionalidade também estão isolados no local, em quartos diferentes. Os três indianos, assim como outros hóspedes e funcionários do estabelecimento, estão no hotel desde a última sexta-feira (28), quando o local foi fechado após constatarem que um deles estava infectado. 

No hotel, só é possível entrar e sair com autorização. No domingo (30), os primeiros hóspedes começaram a ser liberados. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e pela Secretaria Municipal de Saúde de Vitória (Semus), que disseram que eles deixaram o local após terem um segundo resultado negativo para o exame de RT-PCR. A Sesa não informou, no entanto, quantos hóspedes conseguiram deixar o hotel. 

Leia também: Hotel interditado em Vitória não cumpria protocolo de segurança epidemiológica

Os funcionários do hotel estão trabalhando com o capote e de mascaras, seguindo as regras da Vigilância Sanitária, que visitou o local no último sábado (29). Segundo a Secretaria de Saúde, todos foram testados e aguardam resultados. A amostra do indiano que testou positivo foi encaminhada para a Fiocruz, em São Paulo, que até quarta-feira deve indicar se ele tem ou não a cepa indiana. 

Em nota, a Secretaria de Saúde de Vitória afirmou que tem atuado junto à equipe da Sesa, por meio de uma ação coordenada entre Vitória e o Estado com o objetivo de conter a entrada da variante indiana da covid-19 na Capital e as equipes continuam no hotel restringindo a entrada e saída de pessoas. 

A secretaria reforça que todos os trabalhadores e hóspedes do hotel foram testados, independente de terem tido contato direto ou não com os indianos e estão mantidos em monitoramento até que o segundo resultado de cada indivíduo fique pronto e aponte negativamente para a covid-19.

A orientação segue a nota técnica da Sesa divulgada na última semana que diz que após dois testes de RT-PCR negativos para a Covid-19 os hóspedes estariam liberados para deixar o hotel.  A Prefeitura de Vitória complementa que as Vigilâncias Municipal e Estadual continuam monitorando os demais hóspedes e funcionários e aguardando o resultado da segunda amostra dos demais testados. 

Reservas suspensas
O hotel suspendeu todas as reservas até o dia 15 de junho. No site, na área onde é possível fazer as reservas, há um X em vermelho nos próximos dias, até o fim da primeira quinzena do mês que vem.

Ao todo, 94 pessoas ficaram isoladas no hotel desde a confirmação de que o hóspede indiano está infectado com o novo coronavírus. Todos elas foram submetidas a testes RT-PCR, que foram realizados na área da piscina do hotel. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o quantitativo de positivos e negativos será informado ao final do processamento das amostras.

Chegada
O grupo de indianos é composto por um comandante e dois marinheiros. Segundo a Sesa, eles permanecem isolados em um quarto. A Secretaria não divulgou qual tripulante está contaminado.

Os indianos vieram para o Espírito Santo num voo vindo de São Paulo. Os três levariam um navio atracado no litoral capixaba para a Índia. O passageiro que testou positivo já chegou ao Estado com sintomas de covid-19, como tosse, coriza e febre.

Diante da situação, o hotel acionou a Vigilância Sanitária. Os profissionais foram até o quarto dos estrangeiros e aplicaram o teste PCR. Em seguida, foi feito um rastreamento entre os funcionários que tiveram contato direto com os três asiáticos.

Últimas