Folha Vitória De picanha a chocolate, remédios para pet prometem acabar com “cara feia” dos bichinhos

De picanha a chocolate, remédios para pet prometem acabar com “cara feia” dos bichinhos

Medicamentos convencionais acabam causando estresse nos animais e também no tutor; manipulados podem ser a solução

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Os medicamentos comerciais, aqueles tradicionais encontrados em farmácias, em sua maioria, contam com doses e substâncias específicas voltadas para o uso humano, seja xarope, comprimido ou cápsula.

Para administrar esses medicamentos no pet, ou mesmo os de uso veterinário equivalentes a remédios existentes na farmácia convencional, o tutor muitas vezes precisa fracionar e misturar na comida ou em outros alimentos, causando estresse no bichinho e também no tutor, o que pode em algumas situações comprometer o tratamento. Sem contar que as formulações costumam ter sabores nada atrativos.

> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas pelo WhatsApp, clique aqui e participe

Por isso, uma saída tem sido os medicamentos manipulados, em especial com sabores até inusitados, como churrasco ou leite condensado.

Mariana Piassaroli, farmacêutica da Farmácia Mônica e especialista em manipulação, explica além de facilitar a vida dos tutores, esses medicamentos permitem que os veterinários receitam a dose exata para o peso de cada animal, evitando uma sobredose desnecessária ou o fracionamento de um comprimido, por exemplo.

“É possível desenvolver medicamentos palatáveis que podem ser manipulados como pastas orais, biscoitos, cápsulas, gel oral e em forma de lenços umedecidos, sendo uma boa alternativa para aqueles bichinhos que precisam tomar remédios de forma contínua", disse. 

O interessante, segundo a especialista, é que eles não possuem glúten, lactose e têm baixo teor ou até mesmo são livres de sódio e açúcar. "Além disso conseguimos adicionar sabores nas formulações, como chocolate, morango, leite condensado, picanha, frango e peixe. Com a orientação do veterinário, produzimos o que melhor se adapta para cada animal”, conclui Mariana.

Últimas