Folha Vitória Defesa Civil mapeia 800 áreas de risco e alerta para mais chuva até esta quarta-feira

Defesa Civil mapeia 800 áreas de risco e alerta para mais chuva até esta quarta-feira

Segundo o Incaper, a tendência é que o clima melhore, a medida em que se aproximar o fim de semana

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Postes caídos após as chuvas no bairro Santa Teresa, em Vitória

Depois do estragos que as fortes chuvas causaram na Grande Vitória na última segunda-feira (30), a previsão é de mais chuva. O boletim da Defesa Civil aponta que deve chover mais de 70mm em várias cidades do litoral capixaba, inclusive, na Grande Vitória. Por causa da possibilidade chuva, a Defesa Civil mapeou 800 áreas de risco em todo o Espírito Santo.

Foto: Ana Carolina Monteiro / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Bairro Santa Teresa, em Vitória

Em Vitória, choveu 54mm. Quatro postes e uma árvore caíram em uma rua do bairro Santa Tereza. Os fios ficaram espalhados pelo chão. 

Uma das árvores não suportou a força do vento e destruiu parte da calçada e do muro de uma casa. Moradora do bairro há 25 anos, a aposentada Darlene de Lunardo, contou que poderia ter sido pior se uma outra árvore maior tivesse caído.

"O barulho da chuva e o vento não me deixaram perceber muito o que estava acontecendo. Quando nós chegamos, a árvore já tinha caído. Eu imaginei até que era a mangueira. Eu fui olhar. Meu quarto é próximo, se caísse iria estragar", disse.

Na tarde desta terça-feira (31), outros moradores do bairro tentavam se recuperar do susto e dos estragos provocados na noite anterior. Funcionários de uma empresa de telefonia e da EDP estiveram no local para fazer os reparos nas fiações e a energia elétrica foi restabelecida no local.

Leia também:

>> Estragos da chuva: queda de árvores, postes e destelhamento de casas na Grande Vitória

>> Mãe e filha ficam feridas após telhado do vizinho cair em casa na Serra

Outros bairros da capital capixaba também foram afetados pela chuva da última segunda-feira. A Prefeitura de Vitória informou que foram registradas seis quedas de árvores. As ocorrências foram registradas nos bairros Santa Lúcia, Praia do Canto, Jardim da Penha, Ilha do Príncipe, além de Santa Tereza. 

De acordo com o major Maurício da Defesa Civil Estadual foram dezenas de ocorrências em todo Estado.

"A gente viveu ontem (segunda-feira), por volta das 19 horas, na Grande Vitória, um vento muito forte e súbito, teve queda de árvores, casas perderam a cobertura, problemas de queda de materiais de obras em telhados, prejuízos e acidente pontuais, mas ninguém ferido gravemente", afirmou.

>> VÍDEO | Chuva e ventos fortes provocam estragos na Grande Vitória nesta segunda-feira

>> Entenda por que as temperaturas caíram no ES e saiba como fica o tempo nesta semana

Alerta! Vem mais chuva por aí

Segundo informações do último boletim da Defesa Civil, deve chover mais de 70 milímetros em várias cidades litorâneas do Espírito Santo, inclusive, na Grande Vitória. A maior preocupação da Defesa Civil é com as mais de 800 áreas de risco que foram mapeadas em todo o Estado. 

O major também deu algumas orientações para se proteger de acidentes durantes as chuvas e os ventos.

"Ouvir ruídos diferentes daqueles que você está acostumado é um sinal importante e a gente tem que ficar atento a isso. Observar postes, árvores e cercados. Se eles estão inclinando, pode ser um sinal de que o terreno está escorregando. Fissuras no solo também devem ser observadas, caso se estendam pela parede. Nesses casos, você deve sair da casa imediatamente", salientou o major.

Ainda segundo a Defesa Civil Estadual, a previsão é de que as chuvas continuem até esta quarta-feira (01). Os boletins diários de chuvas podem ser acompanhados pelo site.

Os dados da Defesa Civil apontam que os maiores acumulados de chuva no Espírito Santo foram registrados em Anchieta, Guarapari e Cachoeiro de Itapemirim. 

Segundo o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), a situação não deve se prolongar. A tendência é que o clima melhore, a medida em que se aproxima o fim de semana, período em que a chuva dará espaço aos dias mais ensolarados.

"O mês de setembro marca um período de transição entre o inverno frio e seco para o verão quente e chuvoso. Por esse motivo, a tendência é que a partir de agora, os eventos associados ao inverno devam diminuir a frequência no Estado", explicou o meteorologista Hugo Ramos do Incaper.

* Com informações das repórteres Milena Martins e Ana Carolina Monteiro, da TV Vitória/Record TV.

Últimas