Folha Vitória Hackers usam crianças para acessar dados pessoais em jogos online

Hackers usam crianças para acessar dados pessoais em jogos online

Por meio de engenharia social, criminosos disseminam links com ‘hacks’, que são programas que prometem vantagens aos jogadores, mas roubam dados

A equipe de análise de riscos do Mantis, plataforma nacional de Digital Risk Protection da ISH Tech - maior empresa de cibersegurança do Brasil - acaba de concluir um estudo que mostra uma ameaça preocupante para as famílias em geral: cibercriminosos têm se aproveitado da ingenuidade de crianças que querem obter vantagens em jogos eletrônicos para disseminar trojans stealers que capturam os dados das máquinas.

Foto: Google Images
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Jogos como League of Legends, Valorant, Fortnite, Free Fire, PUBG e Minecraft têm uma legião de fãs e é comum que estes jogadores busquem vídeos no YouTube para aprender macetes e conseguir vantagens perante outros players. Atentos a este comportamento, os cibercriminosos tem utilizado cada vez mais de engenharia social para disseminar vídeos com conteúdo baseados nos games, que servem de isca para o download de hacks, que supostamente ofereceriam vantagens aos jogadores.

Entretanto, assim que o executável é baixado, o hack do game começa o processo de distribuição de artefatos maliciosos na máquina da vítima.

LEIA TAMBÉM:

● Tower of Fantasy: como jogar o mmorpg com seus amigos
● Overwatch 2: Passe de Batalha, Nova Heroína de Suporte, Kiriko, e mais!
Trocando bicicleta por PC: Conheça Yuri 'Brida', campeão de Free Fire

“Assim que a máquina executa o suposto Hack, ela é infectada e o malware precisa de poucos minutos para copiar os arquivos da vítima e enviá-los de forma criptografada para uma nuvem do cibercriminoso”, explica William Pessoa, Product Owner, do Mantis.

Público infantil é um alvo fácil para os cibercriminosos

As vítimas são atraídas pela engenharia social de Hack para jogos online, mas as informações capturadas vão muito além dos jogos. O objetivo é roubar informação confidencial, como senhas de sistemas que estejam no computador. A equipe do Mantis identificou muitos casos em que filhos de colaboradores de diversas empresas acabaram caindo no golpe e comprometendo informações das companhias em que seus pais trabalham. Isso é confirmado quando as informações são vendidas, sendo fácil identificar o domínio corporativo no usuário que teve as credenciais vazadas, e também observando que os sistemas operacionais normalmente são corporativos.

Foto: Google Images
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

“É comum que um único trojan, de um simples vídeo no YouTube, chegue a fazer milhares de vítimas em poucas horas. A atração e a facilidade que o vídeo passa para a vítima, prometendo poucos passos para melhorar a performance do jogador que irá garantir a vitória no jogo, faz que com milhares de crianças caiam nessa engenharia social”, diz Pessoa.

De 10 a 14 de agosto, o Mantis identificou 645 vídeos postados no YouTube sobre os jogos mencionados. Tais vídeos contém em sua descrição links para download de falsos hacks que na verdade são programas desenhados para furto de informações confidenciais. Estes vídeos somados chegaram a mais de 226 mil visualizações no período.

“No momento em que o home office é adotado por milhares de empresas ao redor do mundo, esta ameaça se torna ainda mais preocupante, pois a família do colaborador passa a ter contato com o computador de trabalho que, antes, ficava somente no escritório. É cada vez mais comum encontrarmos situações em que os filhos que gostam de jogar online, utilizam o computador corporativo dos pais porque a máquina via de regra possui um hardware mais potente”, completa Pessoa.

Sobre o Mantis

O Mantis é líder na solução Digital Risk Protection (DRP), que mantém a vigilância em todo o oceano tecnológico, desde a surface até a dark web, permitindo que vazamentos de dados e crimes cibernéticos sejam detectados precocemente. Empresa de capital 100% nacional, trabalha com tecnologias de última geração, com um time de profissionais altamente qualificados. Tem entre seus clientes algumas das maiores empresas do Brasil, incluindo bancos, fintechs, instituições financeiras, varejistas, atacadistas, empresas da área de saúde e órgãos públicos. A matriz fica em Vitória (ES), e a empresa mantém filiais em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Goiânia e Pernambuco e subsidiária nos EUA.

Últimas