Folha Vitória Médico conta o que é preciso saber antes de qualquer procedimento estético

Médico conta o que é preciso saber antes de qualquer procedimento estético

O cirurgião plástico faz um alerta e explica sobre como minimizar riscos para que ocorra um procedimento seguro e eficiente

Folha Vitória
Foto: Pixabay
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O Brasil é um dos países que lideram o ranking de cirurgias plásticas para fins estéticos no mundo. Segundo o último balanço bianual da Sociedade de Cirurgia Plástica (SBCP). Em 2018 foram realizadas 1,7 milhões de operações no país, sendo 60% para fins estéticos. Mas a grande adesão à tais procedimentos também traz a tona uma discussão de suma importância que diz respeito à saúde dos pacientes que buscam alguma mudança.

Um dos casos de prejuízo causado pela realização de um procedimento estético aconteceu com a modelo e influenciadora digital Joselyn Cano, mais conhecida como "Kim Kardashian mexicana" por conta da aparência física semelhante à celebridade americana. Ela morreu após complicações causadas por uma cirurgia plástica. 

A modelo de 30 anos, se submeteu a um procedimento nas nádegas chamado "Brazilian Butt Lift", técnica para aumentar o volume do bumbum que utiliza enxerto de gordura nos glúteos. Joselyn vivia em Newport Beach, na Califórnia, Estados Unidos, e viajou à Colômbia para realizar o procedimento, onde seria mais barato comparado ao país americano.

Ranking de procedimentos

O Brasil é um dos países que lideram o ranking de cirurgias plásticas para fins estéticos no mundo. Segundo o último balanço bianual da Sociedade de Cirurgia Plástica (SBCP). Em 2018 foram realizadas 1,7 milhões de operações no país, sendo 60% para fins estéticos.

As intervenções mais procuradas são as próteses de silicone, lipoaspiração, abdominoplastia, plástica das pálpebras (blefaroplastia), suspensão das mamas (mastopexia), redução mamária, plástica do nariz (rinoplastia) e cirurgia do rejuvenescimento da face (lifting facial).

Ainda de acordo com dados da SBCP, nos últimos dez anos houve um aumento de 141% nos procedimentos em jovens de 13 a 18 anos. Tais procedimentos trazem benefícios para a estética e também para autoestima - algo extremamente importante para a saúde - mas é importante lembrar que toda cirurgia pode ter risco de complicações como infecção, trombose, rompimento dos pontos, e em alguns casos, como o da Joselyn, a morte.

Para o médico cirurgião plástico e membro da SBCP, Victor Cutait, é muito importante buscar melhorias estéticas, mas, acima de tudo, atentar-se à saúde. "É importante manter a autoestima e a boa relação com o corpo, mas, no momento de decidir realizar o procedimento cirúrgico é primordial colocar a saúde como prioridade", afirma.

Escolha profissionais certificados e especializados em cirurgia plástica

O primeiro passo é selecionar um cirurgião de qualidade e certificado. Para isso, Cutait revela onde é possível fazer a análise. "Certifique-se de que o médico consta no cadastro de cirurgiões plásticos no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Se o nome do profissional não estiver na lista, é possível que ele não seja certificado para atuar como cirurgião plástico, o que aumenta os riscos de maus procedimentos e de morte, já que tal indivíduo não estudou para dominar as técnicas que envolvem os procedimentos", alerta.

Realize procedimentos em locais adequados como hospitais e clínicas especializadas

Antes de mais nada, é importante saber que existem variações de complexidade nas cirurgias e é justamente isso que determinará os níveis de exigências do lugar de realização. Procedimentos menos invasivos podem ser realizados no próprio consultório médico ou em clínicas, pois não apresentam riscos. No entanto, o local deve ter alvará para realizar este tipo de procedimento.

"Já cirurgias mais complexas devem ser realizadas exclusivamente em hospitais, pois são equipados com infraestrutura para que, em caso de necessidade, qualquer tipo de intercorrência seja contida, minimizando riscos de complicações e aumentando as chances de solução adequada e imediata", explica.

"O que faz toda diferença é o cirurgião estar apto para lidar com todos os cenários que podem envolver uma cirurgia, dando todo suporte necessário para o paciente caso algo aconteça", declara o especialista.

A relação médico-paciente é fundamental

Cutait informa que é fundamental o médico ser atencioso e disponível para sanar todas as dúvidas do paciente além de também alinhar as expectativas do resultado final da cirurgia a fim de evitar decepções.

"É importante que o paciente esteja ciente de que a beleza não é padronizada e que, o mesmo procedimento tem resultados distintos em cada pessoa", diz.

Avalie opiniões e feedbacks

Também é importante verificar as considerações de pessoas que já realizaram procedimentos com o médico escolhido, um dos aspectos que determina a reputação e credibilidade do profissional.

Além disso, é possível visualizar o histórico do profissional no Conselho Regional de Medicina ao qual ele é filiado e verificar denúncias no Conselho Federal de Medicina ou também na justiça, caso haja processos em nome do médico.

Duvide de preços muito abaixo do valor de mercado: O barato pode sair caro

Caso o orçamento do procedimento seja muito abaixo comparado a outras clínicas, deve-se desconfiar da qualidade do serviço prestado.

"O investimento da cirurgia plástica qualificada conta os honorários da equipe médica - composta pelo cirurgião plástico principal, cirurgião plástico assistente, além de médico anestesista e instrumentador; custos hospitalares e, em algumas cirurgias, o preço das próteses. No momento em que um cirurgião plástico cobra preços muito baixos, fique alerta já que, na maioria das vezes, ele pode estar negligenciando a segurança do paciente", adverte.

"Hoje em dia há muitos conteúdos de influenciadoras digitais que mostram apenas as vantagens das cirurgias. Evidenciam a beleza e facilidade de realizar procedimentos estéticos. Toda cirurgia tem risco de complicações", finaliza.

Últimas