Folha Vitória Relembre brincadeiras antigas para aproveitar com as crianças

Relembre brincadeiras antigas para aproveitar com as crianças

Às vezes tudo o que os pequenos precisam é sair um pouco do mundo virtual e brincar à moda antiga

Foto: Pixabay

As brincadeiras antigas nunca saem de moda e para a alegria da criançada, e para as mamães e papais relembrarem os velhos tempos, o Jornal On-line Folha Vitória separou algumas que ficaram marcadas durante a infância. 

Além de fazerem as crianças gastarem energia, as atividades ajudam no desenvolvimento motor. Confira algumas e divirta-se:

AMARELINHA

O jogo da amarelinha exige, acima de tudo, muito equilíbrio para atravessar de um lado ao outro. 

Com um giz branco, desenhe o diagrama composto de 10 quadros. Coloque números de 1 a 10, com diferentes cores de giz. 

Feito isso, para começar a jogar, a criança deve se posicionar de costas, atrás do primeiro quadrado, e atirar o marcador. A casa onde cair o marcador será o quadrado em que a criança não poderá pisar.

A criança começará o circuito da amarelinha pulando com um (nas casas solitárias) ou dois pés (nas casas duplas). O objetivo é, sem pisar na casa onde está o marcador, que a criança percorra pulando a amarelinha até o número 10, pegue o marcador e volte.

Se não conseguir se equilibrar para pegar o marcador, será a vez do próximo jogador. Ganhará a brincadeira a criança que conseguir completar todo o percurso primeiro.

PIPA

A pipa sempre foi a brincadeira favorita das das crianças que curtem brincar ao ar livre. A maneira mais fácil de empinar uma pipa é com duas pessoas: uma segura a pipa contra o vento e a outra fica de longe segurando a linha. 

CINCO-MARIAS, PIPOQUINHA OU BELISCO

Cinco-marias, pipoquinha ou belisco é um jogo também conhecido como "brincadeira dos cinco saquinhos", ou "das cinco pedrinhas ", que devem ter tamanhos aproximados. No caso dos saquinhos, são de tecido, de mais ou menos 3 por 4 cm, com enchimento de areia, farinha, grãos de arroz ou feijão.

A maneira mais comum de jogar é começar pegando um saquinho (ou pedrinha) e jogá-lo para cima. Antes que o saquinho caia na mesa, pegue rapidamente outro com a mesma mão que atirou o primeiro e recupere o 1º saquinho ainda no ar, antes dele cair, sempre com a mesma mão. Precisa ser bem rápido, é claro.

Se deixar o saquinho cair, você perde a vez para seu parceiro. Jogue para cima os dois que estão em sua mão e tente pegar mais um antes que os outros caiam. Vá aumentando o número de saquinhos a cada jogada até tentar pegar todos os cinco. 

PEGA VARETAS

O jogo pega-varetas existe há muitos anos. Você pode comprar kits multicoloridos feitos de plástico ou madeira. Alguns deles têm varetas especiais que devem ser usadas para movimentar as demais. São necessárias ao menos duas pessoas para jogar, mas é possível fazê-lo com mais participantes. É um excelente jogo para crianças e adultos, então é possível jogar com os pais, irmãos ou amigos.

Segure todas as varetas com uma só mão (como se estivesse segurando todo um pacote de espaguete). Todas elas devem estar na vertical. As varetas devem estar suspensas a alguns centímetros de uma superfície plana, como uma mesa ou o próprio chão.

Abra as mãos para soltar as varetas. Deixe-as cair sem interferência. Quando todas elas entrarem em contato com a superfície, o jogo já pode começar! Deixe o jogador mais novo começar, e o próximo será o indivíduo que estiver à esquerda dele. O jogo continuará se movimentando em sentindo horário até que chegue ao fim.

A sua vez termina quando uma das varetas se mover. Tente não tocar ou movimentar outras varetas quando estiver tentando removê-las da superfície plana. Se isso ocorrer, você deve soltar a que se moveu e a vez será de outra pessoa.

QUEIMADA

São dois times. Um de cada lado do campo. O jogo consiste em arremessar uma bola para o lado adversário, para atingir um dos jogadores do time oposto. Quando a criança é atingida (a bola acerta e cai no chão), ela passa a ser um prisioneiro – e fica sem jogar até que um dos times perca todos os seus jogadores.

ESCRAVOS DE JÓ

Todo mundo cantando: “Os escravos de jó, jogavam caxangá, tira, põe, deixa ficar, guerreiros com guerreiros fazem zigue, zigue zá”.

Marcando os tempos fortes, comece a brincadeira de passar o objeto (qualquer um | o mais clássico é caixa de fósforo), com a mão direita para a criança à sua direita. A criança da direita que receber o objeto, com a mão esquerda deve trocá-lo rapidamente de mão para continuar a roda.

Quando a letra diz “tira” a criança deve levantar o objeto; quando diz “põe”, voltar com ele para a mesa (ou chão); quando diz “deixa ficar” ela solta o objeto; e, quando diz “zigue, zigue, zá”, faz-se o movimento (ida e volta), só passado para a pessoa da direita na última palavra.

CAMA DE GATO

A cama de gato é uma brincadeira feita com barbante. Pegue uma tira de barbante e amarre as duas pontas juntas (formando um colar). Prenda-o nas mão. Ensine uma vez as crianças como devem retirar e passar o barbante para as mãos delas.

PEÃO

Apesar de ter praticamente sumido das prateleiras das lojas, o peão é uma das brincadeiras mais clássicas e divertidas. E não precisa de muita coisa pra brincar. Um peão para cada criança e um círculo desenhado no chão. A ideia é manter o peão rodando dentro do círculo.

Cada participante precisa enrolar o barbante em volta do peão, bem firme, sem deixar folgas. A pontinha solta do barbante deve ser segurada com a mão. Dando um impulso com a mão, puxando o fio pra trás, faça o peão girar. Cada jogador deve arremessar o seu peão em direção ao círculo desenhado no chão.

Defina qual será o tamanho do campo, sendo metade para cada time. Divida as crianças em dois grupos iguais. Sorteie quem irá começar, uma criança de cada grupo tenta acertar um oponente (ou pode ser no cara e coroa mesmo).

BATATA QUENTE

As crianças sentam-se em círculo e alguém fica de fora (de costas ou com os olhos vendados).  Enquanto a criança de fora estiver cantando: “Batata quente, quente, quente…” as crianças da roda passam uma bola ou objeto de mãos em mãos até que ela diga: “queimou”.

Quem estiver com o objeto na mão, neste momento, passa a ficar de fora e a cantar.

Opções: para que todos brinquem de uma vez pode colocar uma música e pedir para que um adulto interrompa aleatoriamente.

Caso as crianças já sejam mais velhas e capazes de entender jogos de eliminação, toda vez que a batata quente parar na mão de alguém, esta sai até que reste uma pessoa.

BOLA DE GUDE

A bolinha de gude é uma brincadeira clássica! 

Desenhe um círculo no chão e entregue o mesmo número de bolinhas para cada criança (4, por exemplo). Cada uma coloca duas dentro do círculo e fica com duas nas mãos.

A criança da vez deve jogar, com o impulso do polegar, a sua bolinha para dentro do círculo nas bolinhas que já lá estão. O objetivo é “empurrá-las” para fora do círculo.

O que acontece: a criança que acertar a bolinha e conseguir retirá-la do círculo, fica com ela. Vence quem tiver mais bolinhas nas mãos.

FORCA

O objetivo é tentar adivinhar qual foi o palavra escolhida, antes da forca!

Em um quadro ou papel desenhe uma forca e escolha uma palavra (secreta). Ao lado da forma coloque o número de letras que tem essa palavra com tracinhos para serem preenchidos.

Peça que a criança tente adivinhar falando uma letra por vez. A criança pode errar até 5 vezes, pois na sexta vez é enforcado (este número pode ser alterado de acordo com a definição de como será desenhado o boneco na forca – um exemplo: cabeça (1), corpo (2), braço direito (3), braço esquerdo (4), pé direito (5) e pé esquerdo (6).

Últimas