Funcionários de UTI que trabalhavam com médica suspeita de cometer eutanásia são presos em Curitiba

Polícia emitiu pelo menos quatro mandados de prisão neste sábado

Virgínia Soares Souza está presa desde terça-feira suspeita de praticar eutanásia em pacientes da UTI do Hospital Evangélico, em Curitiba

Virgínia Soares Souza está presa desde terça-feira suspeita de praticar eutanásia em pacientes da UTI do Hospital Evangélico, em Curitiba

Reprodução/Rede Record

Três médicos que trabalhavam com Virgínia Soares Souza, de 56 anos, presa por suspeita de eutanásia (antecipação da morte com o uso de procedimentos médicos) foram presos na manhã deste sábado em Curitiba (PR). A policia emitiu ao menos quatro mandados de prisão.

Os anestesistas Edson Anselmo da Silva Júnior e Maria Israela Boccato foram detidos em casa. O médico Anderson de Freitas se apresentou espontaneamente. Todos trabalhavam na UTI do Hospital Evangélico, na capital do Estado. Virgínia está presa desde a última terça-feira (19).

Leia mais notícias de Cidades

Paciente de UTI chefiada por médica suspeita de eutanásia pediu socorro antes de morrer

Os três médicos foram encaminhados para prestar depoimento no Núcleo de Repressão aos Crimes contra a Saúde, mas ficaram em silêncio e só vão falar em juízo. A polícia não conseguiu localizar uma quarta médica, cujo nome não foi divulgado.

Também neste sábado, a defesa dos médicos conseguiu uma decisão da Justiça para acessar as gravações telefônicas que mostrariam a ex-chefe da UTI orientando funcionários a cometer práticas que levariam à morte de pacientes. A polícia não liberou a cópia dos áudios.

Colegas dizem que médica é ríspida, porém idônea 

Polícia poderá exumar sete corpos de pacientes de médica suspeita de praticar eutanásia