Cidades João Pessoa é a cidade paraibana com mais chuvas em 2021, segundo levantamento da Aesa

João Pessoa é a cidade paraibana com mais chuvas em 2021, segundo levantamento da Aesa

João Pessoa é a cidade onde mais choveu este ano no Estado. Segundo levantamento feito pelo setor de Monitoramento e Hidrometria da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa), foram registrados 1.246,4 milímetros. Maio foi o mês mais chuvoso na capital, com 436,2 milímetros.  O município de Lucena ocupa a segunda colocação do ranking […]

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
Chuva forte em Joao Pessoa (Foto: Divulgação/Semob-JP)

João Pessoa é a cidade onde mais choveu este ano no Estado. Segundo levantamento feito pelo setor de Monitoramento e Hidrometria da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa), foram registrados 1.246,4 milímetros. Maio foi o mês mais chuvoso na capital, com 436,2 milímetros. 

O município de Lucena ocupa a segunda colocação do ranking das chuvas 2021 com 1093,9 milímetros. No mês passado, foram registrados 423,2 milímetros. Outras três cidades localizadas no Litoral completam o top 5 das precipitações na Paraíba: Alhandra (1030,8mm), Bayeux (979,1mm) e Conde (943,9 mm).  

Os meses de abril, maio, junho e julho são os mais chuvosos nas regiões Litoral, Brejo e Agreste. “Nós estamos em período de chuva. Neste período os aglomerados de nuvens se deslocam do Oceano Atlântico em direção à costa leste da Paraíba. Neste mês de junho, as chuvas estão abaixo da média, como a Aesa havia previsto”, lembrou a meteorologista Marle Bandeira.

No Cariri, Sertão e Alto Sertão os meses de fevereiro, março, abril e maio são os mais chuvosos. “De acordo com a circulação de ventos, as condições oceânicas e atmosféricas os Vórtices Ciclônicos podem começar a provocar pancadas de chuvas já em dezembro e janeiro, contribuindo para a recarga dos açudes. Depois, temos a Zona de Convergência Intertropical, que é o principal sistema gerado de chuvas para a região semiárida do Nordeste”, explicou Marle.

Açudes

Dos 134 reservatórios monitoras pelo Governo do Estado,  20 estão em situação crítica (com menos de 5%), 21 estão em observação (com menos de 20%), 92 possuem mais de 20% da capacidade e apenas um está sangrando. A lista detalhada com a quantidade de água em cada reservatório está disponível no site da Aesa.

Últimas