Cidades PF prende um e apreende R$ 194 mil em operação contra desvios de armas de CACs

PF prende um e apreende R$ 194 mil em operação contra desvios de armas de CACs

Segundo investigação, armamentos seriam registrados em nome de laranjas para depois serem destinados a organizações criminosas

Agência Estado - Política
Agentes vasculharam endereços em Campo Grande (MS) e Medianeira (PR)

Agentes vasculharam endereços em Campo Grande (MS) e Medianeira (PR)

Reprodução/Polícia Federal

A Polícia Federal de Mato Grosso abriu neste sábado (3) uma operação contra o comércio ilegal de armas e munições de grosso calibre desviadas de possíveis CACs — pessoas habilitadas na categoria "caçador, atirador e colecionador", grupo que cresceu durante o governo Jair Bolsonaro. Segundo os investigadores, os armamentos seriam registrados em nome de laranjas para depois serem destinados a organizações criminosas dedicadas à prática de crimes violentos.

A ofensiva foi batizada Ópla — do grego armas — e prendeu preventivamente um investigado. Além disso, os agentes vasculharam endereços em Campo Grande (MS) e Medianeira (PR). Durante as diligências, foram apreendidos R$ 194,3 mil e uma pistola Glock, calibre 9 mm, equipada com kit rajada.

Segundo a PF, a ofensiva é um desdobramento do inquérito aberto após a prisão em flagrante de um CAC no dia 4 de outubro. Na ocasião, foram apreendidas três pistolas 9 mm, quatro fuzis e munições, além de coletes balísticos com identificações falsas da Polícia Civil.

Um dos fuzis apreendidos durante a diligência estava com a numeração raspada, mas a perícia conseguiu identificar que a dona da arma é habilitada como CAC e tem outras armas registradas em seu acervo, entre elas uma pistola Glock calibre .40 e uma pistola Taurus calibre .45.

As armas apreendidas na primeira fase da Operação Ópla seriam entregues a uma quadrilha suspeita de assaltos a bancos. Após a prisão em flagrante, foram expedidas outras sete ordens de prisão na capital e em Maracaju, no interior, contra integrantes da quadrilha, incluindo outro CAC supostamente laranja.

Como mostrou o Estadão, investigações da PF em pelo menos sete estados miram várias irregularidades no registro de armas por colecionadores, caçadores e atiradores esportivos (CACs) que têm facilitado o acesso a armamento por parte de criminosos.

Últimas