Poupança tem saque recorde de R$ 12,356 bi em janeiro, diz Banco Central

BRASÍLIA (Reuters) - A caderneta de poupança sofreu um resgate líquido de 12,356 bilhões de reais em janeiro, informou o Banco Central nesta quinta-feira, na maior retirada mensal de recursos da aplicação registrada na série, que tem início em 1995.

Até então, a maior retirada líquida havia acontecido em janeiro de 2016 (12,031 bilhões de reais). Em janeiro do ano passado, houve um saque líquido de 11,232 bilhões de reais.

No Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), os saques superaram os depósitos em 9,835 bilhões de reais no mês passado, enquanto na poupança rural houve saída líquida de 2,521 bilhões de reais.

No acumulado de 2019, a poupança encerrou o período com depósitos líquidos de 13,327 bilhões de reais, no pior resultado para a caderneta em três anos.

RENDIMENTO

Com o juro básico na mínima histórica, a remuneração da poupança tem recuado cada vez mais. É que, por lei, toda vez que a Selic for igual ou inferior a 8,5%, a remuneração da aplicação passa a ser de 70% da Selic acrescida da Taxa Referencial (TR), que atualmente está em zero.

Na quarta-feira, o Comitê de Política Monetária (Copom), do BC, reduziu a Selic em 0,25 ponto percentual, para 4,25%, menor patamar da história. Com isso, o rendimento da poupança ficará abaixo de 3%, inferior à inflação projetada para o ano (3,4%, segundo o relatório Focus).

None

(Por Gabriel Ponte)