Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Reuniões do Copom não seguem apenas modelos, há sempre julgamentos, diz Galípolo

Diretor do BC afirmou nesta sexta que o consumo tradicional de dados pelos Bancos Centrais costuma ser mais conservador

Economia|Do Estadão Conteúdo

Galípolo participou de seminário na UnB nesta sexta (Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil)

O diretor de Política Monetária do Banco Central, Gabriel Galípolo, afirmou nesta sexta-feira (7) que as reuniões do Copom (Comitê de Política Monetária) do BC não seguem apenas modelos e que há sempre julgamentos para tomar decisões. Participante de seminário do programa de pós-graduação em economia da UnB (Universidade de Brasília), ele foi questionado sobre a observação de modelos tradicionais da literatura econômica para a tomada de decisões da política monetária.

Leia mais

Galípolo destacou que o consumo tradicional de dados pelos Bancos Centrais costuma ser mais conservador e que quando os BCs mencionam que a curva de Phillips, por exemplo, está mais flat é uma forma elegante de dizer que perdeu potência, até pelas correlações inusitadas que são observadas.

“No Copom, o modelo não vai lá e cospe um resultado. Tem nove pessoas, existe um julgamento, uma decisão que está juntando esses dados, esses modelos”, observou o diretor do BC.

Desinflação no mundo

Galípolo afirmou ainda que o mundo passou por processo de desinflação relevante em 2023, mas de forma inusitada. “A gente assistiu a um processo desinflacionário ao redor do globo com nível de atividade ainda bastante resiliente”, disse o diretor.

Publicidade

Ele comentou sobre o cenário dos Estados Unidos e disse que desde 2023 havia oscilação nas expectativas. Por isso, ele destacou que o processo norte-americano de desinflação mais lento, mas com menor probabilidade de recessão. “(O Fed) tem mais êxito de fazer isso sem tanto custo para a sociedade”, afirmou, citando o Federal Reserve, o banco central norte-americano.

O diretor do BC ainda comentou que a desinflação mais resiliente nos Estados Unidos está associada a serviços e mercado de trabalho. “Será possível ver desinflação sem aumento do desemprego nos Estados Unidos simplesmente por normalização de cadeias?”, observou.

Publicidade

Mais cedo, ele destacou o esforço empreendido pelos Bancos Centrais no período de 2008 até agora, com ênfase no período da pandemia. Ele também comentou os efeitos de apostas para as tendências inflacionárias. “Historicamente, preços de serviços rodam numa inflação superior ao preço de bens”, observou.

Desinflação no Brasil

O diretor de Política Monetária do Banco Central afirmou que a posição do Brasil em relação ao processo de desinflação - com dados benignos, mas expectativas desancorada - coloca o país em posição mais delicada e incomoda a ele e a outros diretores da autoridade monetária.

Publicidade

Galípolo comentou que a postergação da expectativa de corte de juro nos Estados Unidos refletiu em elevação de juro terminal em emergentes. “O que coloca o Brasil em situação mais delicada é que ocorreu alteração na taxa de juros terminal, mas continuamos observando o processo de desancoragem das expectativas, em processos meio dissonantes”, observou.

Ele destacou que os últimos dados de inflação foram benignos, mas a desancoragem das expectativas persiste - e é isso que causa a preocupação no BC.

O diretor ainda citou o consumo resiliente das famílias e aumento da balança comercial como pontos que continuam surpreendendo a economia brasileira, apesar de os juros permanecerem em patamar restritivo.

Galípolo ainda chamou atenção para a taxa de investimento, avaliando que é preciso elevar o seu atual patamar.

Posição privilegiada

O diretor do Banco Central afirmou também que a economia brasileira está em posição privilegiada em relação aos desafios que estão sendo impostos pelo mundo. Ele comentou sobre as vantagens competitivas do país, como a matriz energética limpa.

Aos alunos da UnB, Galípolo procurou passar um tom otimista sobre a condução da política monetária e da economia brasileira.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.