Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Taxa de juros para MEI chega a 44% ao ano, quatro vezes mais que a Selic, diz Sebrae

Levantamento mostra que, no Nordeste, empreendedores que buscam empréstimos podem pagar até 51% de taxa ao ano

Economia|Do R7


R7- Dinheiro _ Moeda _ Real _ SP - 1500
Empréstimo para MEI tem taxa de juros a 44% ao ano em média Edu Garcia/R7 - 04.09.2023/Edu Garcia/R7 - 04.09.2024

Levantamento do Sebrae mostra que a taxa de juros para empréstimo ao MEI (Microempreendedor Individual) está em 44%, em média, no país. O índice é quatro vezes maior que a taxa básica de juros, a Selic, de 10,5%. Segundo os dados, no caso dos empreendedores da região Nordeste, a taxa pode chegar a 51% ao ano.

Já para as microempresas, a média atual é de 42,49%, e para as empresas de pequeno porte (EPP) fica em 31,54%.

Por regiões, além do Nordeste que supera a média nacional, Região Norte registra uma taxa de 47,62% ao ano, seguida pelo Sudeste (47,09%), Centro-Oeste (44,41%) e Sul (37,21%).

O Copom (Comitê de Política Monetária), do Banco Central, manteve na semana passada a taxa Selic em 10,5%, interrompendo a sequência de redução dos juros.

Publicidade

“Este cenário deve mudar com a entrada do programa Acredita Brasil. O Sebrae já registrou cerca de 20 mil operações de janeiro a maio de 2024. Esse volume representa 2,5 vezes (mais que o dobro) do montante de crédito feito no mesmo período em 2023. Estamos percorrendo o Brasil para democratizar o crédito”, afirma Décio Lima, presidente do Sebrae Nacional

O programa Acredita Brasil foi lançado para ampliar o acesso das micro e pequenas empresas ao crédito. No início do mês, a instituição comemorou a marca de R$ 1 bilhão de crédito concedido por meio do Fundo de Aval para Micro e Pequena Empresa (Fampe), gerenciado pelo Sebrae.

Publicidade

No total, cerca de 20 mil operações foram realizadas, de janeiro a maio, com os recursos do fundo. São 29 instituições bancárias aptas a ofertar os recursos possibilitados com o aporte de R$ 2 bilhões do Sebrae, para viabilizar R$ 30 bilhões em crédito nos próximos três anos.

“Pelo programa Acredita, as operações tendem a ter uma taxa de juros menor que as praticadas pelo mercado, de uma forma geral, além disso, o Sebrae garante o aval e o crédito assistido”, avalia Giovanni Beviláqua, coordenador de acesso a crédito e investimentos do Sebrae.

Também faz parte do programa o Desenrola Pequeno Negócios, voltado para repactuação de empréstimos de MEI, micro e pequenas empresas. Desde 13 de maio, quando começou, já foi negociado volume de R$ 1,3 bilhão, com os bancos, segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.