Educação Cinco dicas para ajudar os pais na adaptação das crianças pequenas

Cinco dicas para ajudar os pais na adaptação das crianças pequenas

R7 ouviu especialista para saber como lidar com o choro e a insegurança nos primeiros dias na educação infantil  

Especialista dá dicas para ajudar os pais na adaptação dos filhos pequenos

Ana Paula com a filha Sofia: choro na adaptação escolar

Ana Paula com a filha Sofia: choro na adaptação escolar

Arquivo Pessoal

Choro e manha na porta da escola, pais ansiosos. Os primeiros dias das crianças pequenas na vida escolar nem sempre são fáceis e exigem cuidados por parte da escola e da família no momento da adaptação.

“Os pais devem se preparar para viver intensamente essa fase, podem enfrentar mudanças no sono e alimentação das crianças”, diz Luana Marra, coordenadora da educação infantil da Escola Santi. “Mas aos poucos, elas voltam à rotina”.

A professora Ana Paula Garcias, de 32 anos, mesmo com toda a experiência do dia a dia em sala de aula, sabe bem como é essa fase de adaptação. Mãe da Sofia, de 2 anos e 11 meses, enfrentou o choro e a insegurança da filha nos primeiros dias. 

“Ela ia bem para a escola, mas na hora do tchau, quando se via sem os pais, só com a professora e os coleguinhas, chorava”, conta Ana Paula.
Sofia frequenta a escola no período da tarde, das 13h às 17h. “No primeiro dia, me ligaram às 15h40 para busca a Sofia, ela estava chorando, mas quando cheguei na sala já havia se acalmado e estava brincando de massinha”. Passado o susto, a adaptação foi tranquila e Sofia conseguiu ficar todo o período na escola.

A adaptação também é para os pais. Mesmo seguro quanto a escolha da escola e de que aquela é a melhor opção para a criança, os pais também se sentem inseguros. “Fiz visitas, me coloquei a par da proposta pedagógica, conheci a professora com antecedência em uma reunião de pais antes do início das aulas, tomei conhecimento da rotina diária da turma dela, fiz tudo, mas ao deixá-la na segunda-feira sozinha em um ambiente novo para ela senti uma vontade imensa de chorar”, diz Ana Paula. “Foi assim os outros dias da primeira semana também, parece ser um sentimento de abandono e o coração aperta ao confiar sua filha nas mãos de pessoas diferentes do convívio dela”.

Para Luana Marra esse é o momento para a escola acolher a criança e a família. “É importante saber que cada um tem o seu jeito de ser e é preciso observar e acompanhar as reações das crianças pequenas. Os pais devem receber informações claras, se possível enviar fotos ou vídeos dos filhos para que se sintam mais seguros também”.

Crianças pequenas devem ser acolhidas pela escola

Crianças pequenas devem ser acolhidas pela escola

Jacqueline Moraes/Divulgação

A pedido do R7, Luana dá dicas para ajudar a família nesse momento de adaptação escolar, ela destaca alguns pontos:

Recepção das crianças: É importante que na primeira semana sempre tenha alguém da família ou babá acompanhando a criança na escola. Só o fato de saber que um adulto de referência ali, os pequenos se sentem mais seguros.  “Pelo menos nos três primeiros dias as crianças não devem ficar o período inteiro e esse tempo deve aumentar gradualmente”.

Despedida: “O tchau deve ser o mais breve possível, a despedida gera angustia, importante que os pais demonstrem segurança e a escola acolha e acalme as crianças”.

Objetos de apego: O brinquedo preferido, a chupeta ou até mesmo aquele paninho são parceiros nessa nova fase. Os objetos de apego dão segurança para as crianças.

Escola: o espaço deve estar pronto para que a criança se sinta bem. Brinquedos de montar, massinha e o parque devem estar acessíveis.

Pais: O acompanhamento da família é fundamental. A escola deve relatar a rotina, trocar informações e deixar claro as atividades do próximo dia.

Atenção: As mudanças de comportamento são comuns, mas não devem persistir. Se a criança permanecer irritadiça, vale uma conversa com a escola para entender o que se passa.