Educação De olho no vestibular: sete pontos para entender a guerra na Ucrânia

De olho no vestibular: sete pontos para entender a guerra na Ucrânia

Professores explicam expressões e conceitos de história e de geografia que auxiliam na compreensão do conflito

Guerra Fria volta a ser assunto pelos estudantes ao rever termos usados no atual conflito

Guerra Fria volta a ser assunto pelos estudantes ao rever termos usados no atual conflito

Genya Savilov/AFP - 01.03.2022

De olho no vestibular e no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), o R7 ouviu os professores Daniel Simões, que dá aula de geografia do curso pré-vestibular da Oficina do Estudante de Campinas (SP) e Fernando Caiafa, professor de História do Poliedro para explicar sete pontos para entender o conflito entre Rússia e Ucrânia.

1. Guerra Fria - é o período que começa após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), marcado pelo conflito ideológico entre as duas grandes potências, Estados Unidos e União Soviética.  Segundo Daniel Simões, o período também é conhecido como 'equilíbrio do terror': "ao desenvolverem um potencial nuclear, os países não poderiam entrar em conflito direto sob pena de deflagrar uma guerra nuclear de grandes proporções", esclarece.

2. Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) - é uma aliança militar de assistência mútua formada no contexto da Guerra Fria. Criada em 1949 pelos Estados Unidos, tem como objetivo promover um sistema de defesa entre os países membros. "Se um deles for atacado por um país que não seja membro da Otan, todos terão que defendê-lo", explica Simões.

3. Tratado de Minsk - Acordo assinado após crises políticas na Ucrânia, que pôs fim à guerra no leste do país em 2014, quando a Crimeia foi anexada à Rússia. O Tratado estabelece uma divisão formal entre as áreas do leste (com influências russas), e a área ocidental (com influências europeias) e assim assegurar o cessar-fogo por ambos os lados em conflito.

4. Botão Vermelho (Guerra Nuclear) - Durante a Guerra Fria instaurou-se o pânico por uma possível ameaça nuclear. Na época, líderes dos Estados Unidos ou União Soviética poderiam dar ordens para serem usadas armas nucleares. "Apertar o botão vermelho seria a autorização de uso desse material altamente destrutivo". Segundo Fernando Caiafa, o assunto volta a ser discutido pela possibilidade do presidente da Rússia, Vladimir Putin, usar as armas nucleares, caso ele não consiga o que pretende nesta guerra com a Ucrânia.

5. KGB (Komitet Gosudarstvennoi Bezopasnosti) - Antigo serviço de inteligência soviético, conhecido como Comitê de Segurança do Estado. Simões explica que a atividade envolvia processos de espionagens com equipamentos e infiltração de pessoas.Putin, atual presidente russo, atuou como agente da KGB.

6- Superpotências - Termo utilizado para representar a União Soviética, do lado socialista, e os Estados Unidos, capitalista — países com ideologias distintas e que passaram a exercer forte influência na política global.

7. Swift (Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication) - É um sistema de colaboração bancária internacional criado nos anos 70. Segundo Caiafa, atualmente fazem parte do sistema cerca de 11 mil instituições bancárias no mundo inteiro. "É um meio de realizar transações internacionais de forma prática e rápida", explica. "Toda a compra realizada entre países é feita pelo sistema bancário que se comunica dentro da plataforma do Swift."

Para o professor Caiafa, excluir a Rússia deste sistema é tornar as importações e exportações russas demoradas. "Vale destacar que não será algo impossível, já que a Rússia desde 2014 já desenvolve a sua própria plataforma para transações bancárias. A exclusão caracteriza uma dificuldade adicional para a economia do país russo", avalia.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Karla Dunder

Últimas