Educação Dia do Vestibulando: escolha da carreira pode vir acompanhada de insegurança

Dia do Vestibulando: escolha da carreira pode vir acompanhada de insegurança

Psicóloga considera sentimento normal do momento, mas dá dicas de como evitá-lo

  • Educação | Do R7 Bolsas de Estudo

Adobe Stock

A escolha de um curso de graduação não é tão fácil para muitos estudantes. Seguir um sonho pessoal ou a carreira que os pais tanto almejam? Trabalhar em algo que tenha a ver com um talento próprio ou uma profissão que dará boa condição financeira? Os pontos que levam à indecisão são variados e o mais importante é a pessoa, em primeiro lugar, tentar se conhecer um pouco mais para decidir, lembrando sempre que é sempre possível recalcular a rota, caso ela não saia como esperado.

“Este sentimento de angústia surge em virtude do estudante ser pressionado a decidir sobre a carreira como algo definitivo e imutável, mas não é exatamente dessa forma. Nós geralmente os orientamos a perceber que essas escolhas podem ser mais flexíveis e o futuro não está preestabelecido no momento do vestibular. Eu acredito que tornar este momento mais leve o torna menos conflituoso”, avalia Vanina Cruz, psicóloga e coordenadora do curso de Psicologia da Anhanguera.

A profissional que também explica que o afastamento entre os estudantes imposto pela pandemia – o que acabou prejudicando a troca de experiência no ambiente escolar – pode ampliar esse sentimento de medo da escolha dar errado. “É importante enfatizarmos que a pandemia trouxe para praticamente todas as pessoas a sensação de incertezas e os estudantes tiveram consequências diretas no seu cotidiano como o fato de ficarem sem contato um com os outros, intensificando as dúvidas sobre qual carreira seguir, qual seria mais adequada e aliada aos projetos pessoais, uma vez que a própria elaboração de projetos pessoais foi impactada”, completa.

Em apoio aos estudantes que estão se preparando para enfrentar um vestibular, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o dia 24 de maio foi instituído como o Dia Nacional do Vestibulando. Abaixo, confira algumas dicas da psicóloga Vanina que ajudam a amenizar o sentimento de insegurança na escolha da faculdade e do curso de graduação.

Comece analisando o que você gosta de estudar
Um jeito interessante para dar o primeiro passo é pensar nas áreas ou disciplinas com as quais você tem maior afinidade ou facilidade durante o período escolar. “Por exemplo, se você ama estudar Matemática e Física, cursos da área de Exatas, como Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo e Ciência da Computação, podem ser uma excelente aposta. Já quem tem mais facilidade com Linguagens, Sociologia, História e Geografia, pode se dar bem em um curso da área de Humanas, como Direito, Psicologia ou Administração”, explica.

Depois de fazer essa reflexão, você pode começar a pesquisar os cursos da área que mais se adequa ao seu perfil. Porém, também é importante considerar aspectos como: As oportunidades em termos de empregabilidade e renda que cada curso oferece; seus gostos e habilidades pessoais.

Faça testes vocacionais
Existem diversos testes vocacionais na internet. O Educa Mais Brasil, maior plataforma de incentivo educacional do país e parceiro do R7, possui em seu site uma aba só para os estudantes testarem suas habilidades e quais os cursos que mais combinam com elas. Ao final do teste, além das opções de curso que são a cara dos alunos, a plataforma indica bolsas de estudo com até 70% de desconto em faculdades e universidades que se encaixam no perfil do aluno. 

Converse com seus colegas
A troca é sempre bem-vinda e saudável. Conversar sobre possibilidades, dizer o que gosta de fazer e o que não gosta, são caminhos que facilitam escolhas, pois torna o momento menos tenso. Assim, o jovem divide com amigos as suas dúvidas, temores e anseios, além de poder conhecer opções que não tinha parado para pensar antes.

Pesquise sobre áreas de interesse e profissionais de referência
Faça uma pesquisa sobre as áreas que você mais se interessa, assista vídeos, leia reportagens, pesquise também sobre profissionais de referência nessa área. A internet possibilita inúmeras informações que podem ser favoráveis e, para isso, busque sites seguros e confiáveis.

Bacharelado, licenciatura ou curso tecnológico?
Os cursos do tipo bacharelado costumam ter duração mais longa (entre 4 e 6 anos) e dão ao aluno uma formação mais generalista. Já as licenciaturas são voltadas para quem deseja lecionar e costumam ter duração entre 3 e 4 anos. São a melhor escolha para quem quer ser professor. Os tecnólogos, por sua vez, têm duração mais curta (de 2 a 3 anos) e oferecem uma formação mais prática ao aluno, visando sua rápida inserção no mercado de trabalho. Vale dizer que alguns cursos são oferecidos no grau de bacharelado e licenciatura, como Educação Física, Pedagogia e Letras.

E, por fim, crie uma boa rotina de estudos
Esse é um momento de preparação, então é favorável a adoção de medidas no seu dia a dia que favoreçam o bem-estar. Estabelecer uma rotina de estudos com pausas e intervalos, evitar dispersão com uso de celular/redes sociais enquanto estiver estudando, dormir bem, optar por uma alimentação equilibrada e saudável, praticar alguma técnica de relaxamento, como exercícios de respiração e meditação, fazer atividades físicas, ingerir bastante água. Essas dicas são muito simples e igualmente eficazes para uma rotina mais organizada e menos impactada pelo estresse.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Últimas