Dificuldade para aprender matemática pode ter causa genética, revela pesquisa

Outros fatores recorrentes são diferentes ambientes escolares, casa e círculos sociais

Os pesquisadores examinaram como gêmeos divergem sobre medidas de ansiedade matemática

Os pesquisadores examinaram como gêmeos divergem sobre medidas de ansiedade matemática

Getty Images

Por que algumas pessoas apreciam a oportunidade de resolver problemas de matemática, mas outras ficam ansiosas com a simples menção de números e letras? A resposta poderia ser genética, de acordo com pesquisadores da Universidade do Estado de Ohio. Em um estudo sobre o tema, eles descobriram que os genes podem causar um maior "ansiedade matemática" em crianças.

Para estudantes, tecnologia vai mudar o ensino superior

Para examinar esta teoria, os pesquisadores examinaram como gêmeos divergem sobre medidas de ansiedade matemática.

A análise fornece uma nova visão sobre por que algumas crianças podem desenvolver um medo de matemática que faz com que seja mais difícil para elas para resolver problemas e ter sucesso na escola.

Outros fatores foram explicados pelos diferentes ambientes escolares, em casa e nos círculos sociais.

O professor Stephen Petrill , que chefia o estudo reforça que “Fatores genéticos podem agravar ou reduzir o risco de fazer mal em matemática”.

— Se você tiver esses fatores de risco genético para a matemática e então você tem experiências negativas nas aulas o aprendizado pode se tornar muito mais difícil. Esse conhecimento  é importante para planejar  intervenções junto aqueles que precisam de ajuda em matemática.

O estudo incluiu 216 gêmeos idênticos e 298 gêmeos fraternos do mesmo sexo em Ohio. As crianças entraram no projeto no jardim de infância ou no  primeiro grau e foram avaliadas durante oito visitas domiciliares.

O último estudo incluiu dados das duas últimas visitas domiciliares, quando os gêmeos estavam com idade entre 9 e 15 anos.

Leia outras notícias sobre Educação no R7

Todos os gêmeos completaram avaliações de ansiedade matemática, ansiedade geral, resolução de problemas de matemática e compreensão de leitura.

Mas, apesar de uma predisposição genética ser importante, ele só foi responsável por cerca de 40% do problema.

Meninos têm desempenho pior do que as meninas?

Na batalha dos sexos, os meninos sempre foram considerados “melhores” do que as meninas em disciplinas como matemática e ciências. Porém, uma revisão de 308 estudos envolvendo mais de 1,1 milhões de crianças contrariou esse estereótipo.

O estudo analisou dados de 1914 a 2011 e sugeriu que meninas tem desempenho melhor na escola do que os rapazes há pelo menos 100 anos.

De acordo com os dados, compilados pela universidade canadense de New Brunswick, as meninas superaram os meninos ao longo de suas carreiras acadêmicas do ensino infantil ao ensino médio.

As diferenças são maiores na disciplina de língua e o menores em matemática, mas mesmo nesses assuntos, as meninas obtiveram melhores notas na média, disseram os pesquisadores.