Educação Enem 2022: 2,4 milhões participaram do primeiro dia de prova

Enem 2022: 2,4 milhões participaram do primeiro dia de prova

No próximo domingo, dia 20, os estudantes vão encarar maratona com 90 questões de matemática e ciências da natureza

  • Educação | Karla Dunder, do R7

Resumindo a Notícia
  • Balanço Enem 2022: 2,4 milhões participaram do primeiro dia de prova

  • Edição contou com 3,4 milhões de inscritos

  • Tema da redação foi 'Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais'

  • No próximo domingo, dia 20, participantes encaram provas de matemática e ciências da natureza

Primeiro dia de provas do Enem teve questões de ciências humanas, linguagens e redação

Primeiro dia de provas do Enem teve questões de ciências humanas, linguagens e redação

EDU GARCIA/R7 - 13/11/2022

O primeiro dia de prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) chega ao fim com a participação de 2,4 milhões de estudantes na prova, uma abstenção de 26,7%, conforme balanço divulgado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) neste domingo (13). Nesta edição, 3.396.597 pessoas se inscreveram para o exame, a segunda edição com o menor número de inscritos desde 2009. 

Entre os presentes, 2.458.504 realizaram as provas em papel, e 32.376, em computador. Os dados são preliminares, tendo em vista que os números conclusivos dependem da apuração definitiva do consórcio aplicador.

Enem 2022

A primeira prova trouxe questões atuais, com temas que passaram pela igualdade social e de gênero. Como destacou Pedro Vasconcelos, professor de redação do curso pré-vestibular Anglo Leonardo da Vinci, "os temas escolhidos reforçam valores relevantes para uma sociedade democrática e igualitária: a validação do processo eleitoral, a preservação das comunidades tradicionais, igualdade de gênero e desigualdade social."

Neste ano, o tema da redação foi Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais, assunto que agradou os professores e foi considerado "a cara do Enem". "A presença dessa temática merece destaque porque historicamente o Enem evita assuntos polêmicos e debates polarizados, mas não se priva de dar visibilidade a grupos e minorias por meio da prova de redação, como já ocorreu em outros anos", destacou Mateus Leme, professor de redação da Oficina do Estudante.

Arte/R7

Além de escrever uma dissertação, os participantes responderam, no total, a 90 questões de linguagens e ciências humanas (história, geografia, sociologia e filosofia). A prova foi considerada muito atual, com questões que abordaram a questão da mulher na história e também a participação feminina nos esportes. Um exemplo foi a esqueitista Rayssa Leal, medalha de prata nos Jogos Olímpicos, para debater o espaço das mulheres em modalidades antes dominada por homens.

A tecnologia foi utilizada para discutir o desemprego estrutural, mas também foi o pano de fundo para falar de pandemia de Covid-19 e educação. Uma charge ilustrava a dificuldade de acesso que muitos estudantes brasileiros tiveram à internet no período de aulas remotas.

A guerra da Ucrânia veio com uma questão sobre a anexação da Crimeia pela Rússia em 2014. E, por fim, o assunto que era dado certo que estaria presente na prova deste ano: o aumento da fome no país.

Segunda etapa

Os participantes do Enem devem encarar no próximo domingo, dia 20, a segunda etapa de provas. A prova terá 90 questões — 45 de matemática e 45 de ciências da natureza (química, física e biologia) e os estudantes terão 5h para completar o exame.

Últimas