Educação Projeto promove transformações nas escolas após a pandemia

Projeto promove transformações nas escolas após a pandemia

Escola Transforma trouxe ambientes interativos para superar as dificuldades no aprendizado dos estudantes da rede pública

  • Educação | Marcela Virgulino*, Do R7

Resumindo a Notícia

  • Escola Transforma contribui para a renovação e transformações de ambientes escolares
  • Projeto tem como objetivo superar dificuldade no aprendizado após a pandemia
  • Ação é voltada a escolas públicas de diferentes regiões do país
Crianças desenvolvem novas habilidades quando o ambiente escolar passa por transformações

Crianças desenvolvem novas habilidades quando o ambiente escolar passa por transformações

Divulgação Reducare

O projeto Escola Transforma, que contribui para a renovação e transformação de ambientes, desenvolveu melhorias na escola municipal Carlos de Andrade Rizzini, situada em Santo Amaro, na zona centro-sul do município de São Paulo. A ação foca o ensino de qualidade para driblar as dificuldades no aprendizado geradas no período de pandemia

A escola foi contemplada com uma brinquedoteca com acervo de 100 livros e 60 brinquedos, equipamentos para o novo laboratório de ciências, uma sala de artes e horta, além da pintura externa da escola.

Para a professora Sandra Mara Medeiros França, que ministra aulas no ensino fundamental, as mudanças na escola se refletem no comportamento dos alunos. "Já podemos observar os avanços. Os estudantes participam muito mais das aulas e se interessam por muitos assuntos atuais, como aquecimento global, Amazônia, importância de leis e outros temas."

"Esse projeto nasceu na metade de 2021 e acontece por meio das ações de responsabilidade social da Nutrien, em parceria com a Rede Educare e com as Secretarias Municipais de Educação", explica Letícia Tavares, pedagoga responsável pelos projetos da Rede Educare. "Fazemos uma pesquisa e depois analisamos as escolas que precisam do projeto. No ano passado, começamos com seis unidades em várias regiões do Brasil. Os seis projetos-pilotos foram realizados nas cidades de Madre de Deus (MG), Coromandel (MG), Porto Nacional (TO), Cristalina (GO), Rio Verde (GO) e Itapetininga (SP)."

Atualmente, o projeto Escola Transforma está dividido pelos estados de Rondônia e Tocantins (região Norte), São Paulo e Minas Gerais (região Sudeste) e Paraná (região Sul). "Cada escola recebe conforme as suas necessidades — tem escolas que recebem biblioteca, como a Emef Carlos de Andrade Rizzini, outras recebem parquinhos... São entregas diferentes", afirma Letícia.

Benefícios do projeto na escola

Ações do projeto na escola Carlos de Andrade Rizzini

Ações do projeto na escola Carlos de Andrade Rizzini

Divulgação Reducare

"A partir das experiências realizadas em laboratório ou das atividades lúdicas que desenvolvemos na brinquedoteca, por exemplo, o aluno tem a oportunidade de ser o protagonista de seu aprendizado, e diminui, dessa forma, barreiras que antes existiam", avalia a professora Sandra Mara. 

Para Letícia, analisar cada passo do projeto é essencial. "A escola escolhida passa por algumas transformações físicas. Entramos em contato com a direção, coordenação, com os professores para entender qual é a realidade da escola. Fazemos uma visita técnica para conhecer e descobrir de que maneira a gente pode contribuir para a melhoria da qualidade do ensino naquele ambiente."

Para Sandra, a chegada do projeto trouxe um novo rumo para a escola e seus alunos. "Os estudantes estavam apáticos e desanimados. Trazê-los para participarem ativamente foi a principal barreira, mas, quando perceberam quanto aprender pode ser divertido, gostaram e se envolveram em todas as atividades."

Letícia explica que o projeto traz mudanças para os educadores. "Além dessas transformações físicas, nós oferecemos uma plataforma de cursos online para os professores, não apenas para aqueles diretamente envolvidos no projeto, mas para toda a rede de educação municipal. Disponibilizamos formação para contação de história e novas metodologias na educação.  Qualquer professor pode se inscrever, sem custo."

* Estagiária do R7, sob supervisão de Karla Dunder

Últimas