Educação Saiba como seu filho será alfabetizado nos próximos anos

Saiba como seu filho será alfabetizado nos próximos anos

Entenda o que é o método fônico, escolhido pelo Ministério da Educação para a sua política de alfabetização de crianças até 7 anos

Saiba como seu filho será alfabetizado nos próximos anos

Entenda quais são as formas de alfabetização de crianças

Entenda quais são as formas de alfabetização de crianças

Pixabay

Numa promessa do governo federal de erradicar o analfabetismo no Brasil, o Ministério da Educação aposta suas fichas na escolha do método fônico para a Política Nacional de Alfabetização.

Nesse método, as crianças são alfabetizadas por meio de associação entre a letra e o seu som (fonema), daí o nome. Os estudantes aprendem a reconhecer o som de cada letra para depois combiná-las formando sílabas e palavras.  O ensino se inicia pela forma e pelo som das vogais, seguidas pelas consoantes. Parte-se dos sons mais simples para os mais complexos.

O professor Ítalo Curcio, Coordenador de Pedagogia da Universidade Presbiteriana Mackenzie explica que o método é utilizado em diferentes países, mas destaca que não é possível eleger apenas um método como o melhor. “Preocupa dizer que só será usado um método, o Brasil é um país muito grande, com muitas características regionais e particularidades”, diz.

"O método fônico instiga a criança a fazer associações com os sons, o ponto negativo é que muitas vezes ele é mais lento e pode ser cansativo para os alunos".

Para Curcio é importante que o professor e a escola conheçam bem seus alunos para depois escolher uma estratégia de alfabetização.  “A escolha de um método varia muito de acordo com a realidade de cada criança, das condições da família e questões culturais”, explica. “É muito comum que haja um hibridismo de métodos e estratégias para se chegar ao objetivo final que é o da alfabetização das crianças”.

No Brasil, até os anos 80 era comum estudantes aprenderem pelo método alfabético, a criança conhece letras, sílabas e consoantes sem a preocupação com o som. Outra estratégia é o construtivismo, que parte das experiências do aluno.

“Cabe ao educador avaliar seu público alvo e a partir daí fazer suas escolhas, não podemos dizer que um método é melhor ou pior ou que só exista um caminho para a alfabetização, é preciso respeitar as características dos alunos e as preferências dos professores”.