Eleições 2020 Abstenção na capital fluminense fica em 35%, diz presidente do TRE

Abstenção na capital fluminense fica em 35%, diz presidente do TRE

Cerca de 1,7 milhão de eleitores cariocas deixaram de ir às urnas, numero maior do que o de votos recebidos por Eduardo Paes (DEM)

  • Eleições 2020 | Da Agência Brasil

35% do eleitorado carioca não compareceu às urnas

35% do eleitorado carioca não compareceu às urnas

Tomaz Silva/Agência Brasil

O grau de abstenção no segundo turno na capital do estado do Rio de Janeiro alcançou 35%, o que significa que em torno de 1,7 milhão de cariocas deixaram de comparecer às seções eleitorais para votar. Eduardo Paes (DEM), prefeito eleito, teve cerca de 1,629 milhão de votos. O presidente do TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro), desembargador Cláudio Brandão de Oliveira, avaliou que é “melhor ter uma abstenção alta do que não ter eleição”.

Segundo o magistrado, quando uma eleição é realizada, significa que a Constituição está sendo cumprida. “Compatibilizando saúde e segurança com democracia, o resultado foi ótimo”, assegurou Oliveira. Acrescentou que a abstenção costuma sempre ser mais alta no segundo turno.

Dos cinco vencedores no segundo turno no estado, dois não foram considerados eleitos porque enfrentam problemas na Justiça Eleitoral. Os recursos apresentados por Wladimir Garotinho, da coligação Um Governo de Verdade, e Rubens Bomtempo, da coligação Unidos por Petrópolis -
Trabalho, Experiência e Esperança, eleitos respectivamente em Campos dos Goytacazes e Petrópolis foram encaminhados ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que deve se pronunciar a respeito em curto espaço de tempo, informou o desembargador.

A diplomação dos prefeitos eleitos está prevista para o dia 18 de dezembro. Os dois candidatos mais votados em Campos dos Goytacazes e Petrópolis não podem ser proclamados eleitos até o julgamento do recurso pelo TSE.

Saúde e segurança

O presidente do TRE-RJ afirmou que todos os protocolos sanitários foram cumpridos para evitar a disseminação da covid-19 e a população pôde exercer o seu direito de voto de forma tranquila. Os registros policiais foram poucos. De acordo com Cláudio Brandão de Oliveira, não foi necessário pedir auxílio das Forças Armadas, uma vez que as forças de segurança que atuam no estado, como a Polícia Civil, a Polícia Militar, a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal, foram eficientes em sua atuação.

A fiscalização da Justiça Eleitoral foi da mesma forma eficaz, garantindo que as ruas ficassem limpas de propaganda eleitoral, o mesmo ocorrendo no ambiente virtual. “A fiscalização foi bem atuante”, disse o presidente do TRE-RJ. A eleição no estado foi acompanhada por uma comissão da Organização dos Estados Americanos (OEA). “O controle externo para nós é muito importante”, definiu o magistrado.

Em relação ao trabalho dos mesários, Oliveira afirmou ter certeza “que a sociedade brasileira é grata a essas pessoas que, por um vínculo de cidadania, se apresentaram para trabalhar voluntariamente”. “A nossa missão é preparar o ambiente para que a sociedade realize a eleição”, completou.

No município do Rio de Janeiro, o prefeito eleito foi Eduardo Paes (DEM). Em São Gonçalo, o eleito foi Capitão Nelson, da coligação Avança São Gonçalo, e, em São João de Meriti, venceu Dr. João, da coligação Pra Fazer mais por São João de Meriti.

Últimas