Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Hora 7
Publicidade

'Musa dos crocodilos' já escapou de mordida perigosa e diz que homens têm medo de namorá-la

Savannah Boan trabalha em um parque da Flórida e acha que os pretendentes temem que ela morra nas mandíbulas de um jacaré

Hora 7|Do R7


Musa dos crocodilos não consegue arrumar namorados
Musa dos crocodilos não consegue arrumar namorados

A americana Savannah Boan tem uma profissão bastante incomum, que lhe deu fama, mas também atraiu certos comentários indesejáveis. Ela mora na Flórida, tem 50 anos, já foi da Marinha dos EUA, mas hoje é uma especialista em tratamento de crocodilos e jacarés.

Também participa de shows com animais no parque Gatorland, que possui cerca de 2.500 animais, entre jacarés e crocodilos — e é embaixadora de grupos globais de conservação de répteis.

Savannah revela que enfrenta um efeito negativo de ter uma profissão inusitada do tipo: homens têm medo de namorá-la, e ela acredita que seja por causa dos jacarés imensos que são "amigos" dela.

"Acredito que a maioria das pessoas tem medo de namorar uma mulher tão forte que trabalha diariamente com feras pré-históricas", disse Savannah, em entrevista recente à agência de conteúdo Jam Press.

Publicidade

Ou talvez o medo seja de ficar viúvo rápido, uma vez que a chamada "musa dos crocodilos" participa de shows bastante arriscados — como sessões de alimentação de crocodilos e jacarés gigantescos.

Alguns chegam a comentar que é "apenas uma questão de tempo" para ela morrer após um acidente.

Publicidade

A preocupação não é totalmente infundada, uma vez que ela indiretamente escapou de uma mordida potencialmente fatal.

Savannah afirma que gosta de répteis desde que era muito jovem
Savannah afirma que gosta de répteis desde que era muito jovem

Em junho de 2021, o jacaré imenso chamado Ricardo saiu da água e simplesmente mordeu Savannah com toda a ferocidade possível. Felizmente, não era exatamente ela, mas um cartaz com a forma dela encostado por acaso no canto da área dele — veja abaixo.

Ela afirma que esse foi o momento em que chegou mais perto de um ataque genuíno, embora jacarés reconheçam humanos e outros animais com outros sentidos que não a visão.

Mas ela também pondera outros possíveis motivos para o afastamento de pretendentes: "Talvez eles tenham medo de mim? Talvez eles tenham medo dos animais com os quais trabalho? Talvez eles pensem que eu sou louca? Não tenho muita certeza."

Leia também

De qualquer forma, esse não é um problema para a tratadora, que revela que gosta muito do que faz e não tem problemas em ficar sozinha.

"Pelo menos as intenções dos animais são sempre claras", completa ela na entrevista, quase filosófica.

Ela finaliza a entrevista deixando bem claro que está muito feliz e esses não são problemas para ela, apenas constatações.

"Eu definitivamente alcancei um objetivo de vida trabalhando na capital mundial dos jacarés todos os dias ao lado dos dinossauros modernos", completa Savannah.

Relembre abaixo o momento em que a polícia resgatou um jacaré do tamanho da Ariana Grande de um porão nos Estados Unidos.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.