Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Antimonarquistas planejam grande protesto no dia da coroação do rei Charles 3º, no próximo sábado

Manifestantes pretendem segurar cartazes, vaiar alto e cantar 'não é meu rei' enquanto o soberano passa em sua carruagem dourada

Internacional|Do R7


Antimonarquistas protestam em Liverpool; letras formam a frase 'Not my king' (Não é meu rei)
Antimonarquistas protestam em Liverpool; letras formam a frase 'Not my king' (Não é meu rei)

Apoiadores do grupo antimonarquista Republic estão planejando seu maior protesto de todos os tempos no dia da coroação do rei Charles 3º, no próximo sábado (6), ao longo da rota da procissão real. Ainda assim, os protestos tendem a ser pequenos, e as pesquisas mostram que a maioria dos britânicos ainda quer uma família real. Na ocasião, eles pretendem segurar cartazes, vaiar alto e cantar "não é meu rei" enquanto Charles passa em sua carruagem dourada.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Os antimonarquistas, ou republicanos, do Reino Unido vêm aproveitando os últimos dias, que antecedem o grande evento, para protestar contra a monarquia.

Apesar de as pesquisas revelarem a preferência da maioria dos britânicos pela monarquia, os números mostram que Charles é menos popular do que sua mãe, a rainha Elizabeth 2ª, que morreu no ano passado.

Publicidade

"Acho que a monarquia está com muitos problemas porque perdeu seu craque. O apoio está claramente diminuindo. Os juros estão diminuindo, e isso é um grande problema para eles. Portanto, o entusiasmo pela coroação é de cerca de 9%", disse Graham Smith, líder do movimento antimonarquista Republic.

Manifestações contra a monarquia também estão planejadas nas capitais da Escócia e do País de Gales. Essas duas nações — das quatro que compõem o Reino Unido — agora são lideradas por republicanos.

Publicidade

Apoio à monarquia está diminuindo

Cerca de uma década atrás, três quartos dos britânicos apoiavam a realeza. Uma pesquisa YouGov desta semana acusou 58%. No entanto, apenas 9% dos britânicos dizem que se preocupam muito com a coroação. Os números sugerem que os jovens são menos interessados ​​na realeza britânica que as gerações mais velhas.

A maioria das publicações britânicas ainda apoia a monarquia de mil anos, embora o jornal The Guardian tenha estimado a riqueza pessoal do rei em quase 2,5 bilhões de dólares (R$ 12,6 bilhões). Charles diz que quer uma monarquia enxuta, menos dispendiosa para administrar.

Publicidade

Alguns, como o autor e professor de estudos negros Kehinde Andrews, questionam se há um caminho a seguir.

"Você tem que aceitar que existem algumas instituições que não podem ser reformadas. Portanto, a única coisa que a família real pode fazer, se for séria, é se extinguir", diz o professor.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.