Internacional Carruagem cerimonial é descoberta quase intacta em Pompeia

Carruagem cerimonial é descoberta quase intacta em Pompeia

Especialistas acreditam que carruagem era usada para 'momentos festivos, desfiles e procissões da comunidade'

Carruagem romana é encontrada quase intacta em Pompeia, na Itália

Carruagem romana é encontrada quase intacta em Pompeia, na Itália

Pompeii Archeological Park/Ministry of Cultural Heritage and Activities and Tourism/Luigi Spina/Handout via REUTERS - 27.2.2021

Uma grande carruagem cerimonial de quatro rodas, com partes de ferro, detalhes em bronze e estanho, restos de madeira e vestógios de elementos orgânicos, como cordas, foi encontrada quase intacta no sítio arqueológico de Pompeia, no sul da Itália, uma cidade soterrada no ano 79 d.C após a erupção do Monte Vesúvio.

A descoberta, de enorme valor para o conhecimento do mundo antigo, ocorreu no vilarejo suburbano em Civita Giuliana, ao norte de Pompeia, além das muralhas da cidade antiga, informaram neste sábado o Parque Arqueológico de Pompeia e o Ministério Público de Torre Annunziata, que trabalham conjuntamente neste projeto também destinado a combater os saques clandestinos.

A carruagem foi encontrada "em excelente estado" no pórtico do vilarejo, em frente ao estábulo onde os restos de três equinos já tinham sido encontrados em 2018.

"É uma descoberta extraordinária para o avanço do conhecimento do mundo antigo. Em Pompeia, já foram localizados veículos de transporte anteriormente, como o da casa de Menandro e as duas carruagens encontradas em Villa Arianna, mas nada como a carruagem da Civita Giuliana", segundo Massimo Osanna, diretor do Parque Arqueológico.

Trata-se de "uma carruagem, provavelmente o Pilentum conhecido pelas fontes, que não é utilizada para uso cotidiano nem para o transporte agrícola, mas para os momentos festivos, desfiles e procissões da comunidade".

"Pompeia continua a surpreender com as suas descobertas e continuará surpreendendo durante muitos anos, com 20 hectares ainda por escavar. Mas, acima de tudo, mostra que é possível potencializar, é possível atrair turistas de todo o mundo e, ao mesmo tempo, é possível realizar pesquisas, formação e estudos", disse o ministro da Cultura, Dario Franceschini.

O ministro ressaltou que a colaboração de diferentes departamentos "impediu o roubo e a comercialização ilegal de descobertas tão extraordinárias".

De acordo com o procurador de Torre Annunziata, Nunzio Fragliasso, "a luta contra o saque de sítios arqueológicos, dentro e fora da zona urbana da antiga Pompeia, é certamente uma das metas prioritárias".

O projeto busca "impedir o saque do patrimônio cultural por imigrantes ilegais que tinham feito vários túneis na região para interceptar tesouros arqueológicos", além de "revelar e salvar dos saques uma das vilas mais significativas do território vesuviano".

Últimas