Internacional Colômbia mostra disposição em dialogar com líderes de protestos

Colômbia mostra disposição em dialogar com líderes de protestos

Governo pede que terceira greve geral seja cancelada. Desde 21 de novembro, colombianos têm ido às ruas manifestar contra governo

Protestos na Colômbia

Governo colombiano aceita diálogo com líderes dos protestos e pede suspensão da terceira greve

Governo colombiano aceita diálogo com líderes dos protestos e pede suspensão da terceira greve

Luisa Gonzalez / Reuters - 24.11.2019

O governo da Colômbia anunciou nesta segunda-feira (2) que aceita um diálogo direto com os líderes dos protestos populares no país e pediu a suspensão da terceira greve geral convocada para daqui dois dias, contra a política econômica e social do presidente Iván Duque.

"Informamos ao Comitê Nacional de Greve que o governo e o presidente Duque têm a disposição de abrir diálogo sem ultimatos, sem pressões, pelo bem da Colômbia", afirmou o diretor do Departamento Administrativo da Presidência, Diego Molano.

O representante apontou que a disposição é de já abrir as conversas hoje à tarde (2) ou amanhã (3), sobre os 13 pontos apresentados pelas centrais operárias e movimentos sindicais, que estão a frente dos protestos que começaram no dia 21 de novembro.

O Comitê Nacional de Greve vem exigindo um diálogo "direto, democrático e eficaz", e critica Duque pela insistência em que esse contato seja pela 'Conversación Nacional', que convocou com diferentes setores políticos, econômicos e sociais do país, para discutir diversos temas.

Desde 21 de novembro, milhares de colombianos estão indo às ruas nas principais cidades do país, para se manifestar contra o governo. Os últimos atos, no entanto, já não tiveram a mesma força, depois que outras reivindicações foram incluídas.

As centrais operárias apontam que Duque prepara um pacote de reformas, que causariam grande impacto para os trabalhadores, como a eliminação de um fundo público previdenciário, o aumento da idade para a aposentadoria, a contratação de jovens com salários mais baixos que o mínimo, entre outras medidas.