Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Coreia do Norte lança mísseis enquanto EUA e Coreia do Sul iniciam exercícios militares

Fotos e vídeos mostraram que disparos foram feitos de um submarino; Washington e Seul simulam ataques de precisão

Internacional|Do R7

Míssil foi lançado de um submarino no mar na costa leste de Sinpo
Míssil foi lançado de um submarino no mar na costa leste de Sinpo Míssil foi lançado de um submarino no mar na costa leste de Sinpo

A Coreia do Norte lançou dois mísseis estratégicos de cruzeiro de um submarino, em uma demonstração de força antes dos exercícios militares conjuntos entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos, informou a mídia estatal norte-coreana nesta segunda-feira (13).

Um submarino disparou as armas no mar na costa leste da cidade norte-coreana de Sinpo na manhã de domingo (11), de acordo com a agência de notícias estatal KCNA.

O exército sul-coreano, citado pela agência Yonhap, confirmou ter detectado um lançamento de míssil, sem dar mais detalhes, segundo a agência de notícias Yonhap.

A KCNA disse que o lançamento foi bem-sucedido e os mísseis atingiram seus alvos designados perto da costa leste da península coreana.

Publicidade

Fotos e vídeos divulgados pela mídia estatal norte-coreana mostraram o submarino "8.24 Yongung" e um míssil voando do mar para o céu, seguido por uma trilha de fumaça e fogo.

Mas analistas expressaram dúvidas sobre o progresso do programa de submarinos da Coreia do Norte.

Publicidade

Park Won-gon, professor da Universidade Ewha de Seul, considerou que as imagens da mídia estatal sugerem que o míssil foi disparado da superfície da água e não com a embarcação submersa.

"Portanto, não faz sentido atirar de um submarino porque não há sigilo", disse Park à AFP.

Publicidade
Coreia do Sul e EUA conduzem exercícios militares para possível guerra
Coreia do Sul e EUA conduzem exercícios militares para possível guerra Coreia do Sul e EUA conduzem exercícios militares para possível guerra

A Coreia do Norte alertou que os exercícios militares de Washington e Seul seriam vistos como uma "declaração de guerra".

Os dois países aliados começaram seus maiores exercícios conjuntos em cinco anos nesta segunda-feira (13).

Segundo a KCNA, o lançamento "mostra a invariável" determinação da Coreia do Norte em enfrentar uma situação em que as forças "do imperialismo americano e sua marionete Coreia do Sul mostram cada vez mais claramente que são manobras" contra Pyongyang.

Acrescentou que o lançamento permitiu “verificar a atual postura operacional dos meios de dissuasão nuclear em diferentes espaços”.

Guerra real

Em uma declaração separada, o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte disse que os Estados Unidos estão "conspirando" para convocar o Conselho de Segurança da ONU para discutir os direitos humanos no país comunista, coincidindo com as manobras.

A Coreia do Norte "denuncia amargamente o vil esquema de 'direitos humanos' dos Estados Unidos como a expressão mais intensa de sua política hostil" em relação a Pyongyang.

Washington e Seul intensificaram sua cooperação militar diante das crescentes ameaças militares e nucleares do Norte, que aumentou seus testes de armas nos últimos meses.

Os exercícios desta segunda-feira, chamados de Escudo da Liberdade, devem durar 10 dias e vão focar na "mudança do ambiente de segurança" devido à agressividade norte-coreana, segundo os dois aliados.

Leia também

Os militares sul-coreanos revelaram este mês que, juntamente com as forças especiais dos EUA, estavam conduzindo exercícios militares que incluíam a simulação de ataques de precisão contra as principais instalações norte-coreanas, à frente do Freedom Shield.

Os exercícios enfurecem Pyongyang, que os vê como exercícios para uma invasão, ao mesmo tempo em que aponta que seus programas nuclear e balístico são de autodefesa.

"Pyongyang desenvolveu capacidades militares e quer testá-las, e gosta de usar a cooperação entre Washington e Seul como desculpa", disse Leif-Eric Easley, professor da Universidade Ewha.

No ano passado, a Coreia do Norte declarou ser uma potência nuclear "irreversível" e lançou um número recorde de mísseis.

Na semana passada, o líder Kim Jong Un ordenou que seus militares intensificassem seus exercícios em preparação para uma "guerra real".

Coreia do Sul e EUA fazem novas manobras militares conjuntas e Coreia do Norte faz ameaças

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.