Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Líderes mundiais pedem respeito à democracia; veja repercussão internacional

Governantes de países como França, Espanha, Chile, Argentina, Equador, Paraguai e Uruguai se manifestaram contra os ataques

Internacional|Do R7


Manifestantes na Esplanada dos Ministérios, em Brasília
Manifestantes na Esplanada dos Ministérios, em Brasília

A invasão dos prédios dos Três Poderes, em Brasília, por manifestantes contrários à eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi repudiada por presidentes e autoridades de vários países. Veja a seguir a repercussão internacional: 

Emmanuel Macron, presidente da França

"A vontade do povo brasileiro e das instituições democráticas deve ser respeitada. Presidente @LulaOficial pode contar com o apoio infalível da França." 

Luis Lacalle Pou, presidente do Uruguai

Publicidade

"Lamentamos e condenamos as ações realizadas no Brasil que ameaçam a democracia e as instituições."

Guillermo Lasso, presidente do Equador

Publicidade

"Condeno as ações de desrespeito e vandalismo perpetradas contra as instituições democráticas de Brasília, pois atentam contra a ordem democrática e a segurança cidadã. Expresso o meu apoio e o do meu governo ao regime de @LulaOficial legalmente constituído."

Pedro Sánchez, presidente da Espanha

"Todo o meu apoio ao presidente @LulaOficial e às instituições eleitas livre e democraticamente pelo povo brasileiro. Condenamos veementemente o assalto ao Congresso brasileiro e pedimos o retorno imediato à normalidade democrática."

Andrés Manuel López Obrador, presidente do México

"Condenável e antidemocrática a tentativa de golpe dos conservadores brasileiros incitados pelas lideranças do poder oligárquico, seus porta-vozes e fanáticos. Lula não está sozinho, tem o apoio das forças progressistas de seu país, do México, do continente americano e do mundo."

Gustavo Petro, presidente da Colômbia

"Toda minha solidariedade a @LulaOficial e ao povo do Brasil. O fascismo decide atacar. Os direitos não têm conseguido manter o pacto de não violência. É hora urgente da reunião da OEA se ela quiser continuar vivendo como instituição e aplicar a carta democrática."

Alberto Fernández, presidente da Argentina

"A democracia é o único sistema político que garante as liberdades e nos obriga a respeitar o veredito popular."

Marito Abdo, presidente do Paraguai

"Estamos acompanhando com preocupação os acontecimentos que estão ocorrendo no Brasil. O caminho deve ser sempre o respeito às instituições, a democracia, a liberdade e a não violência."

Gabriel Boric Font, presidente do Chile

"Ataque inapresentável aos três poderes do Estado brasileiro pelos bolsonaristas. O governo brasileiro tem todo o nosso apoio diante desse covarde e vil ataque à democracia."

O secretário geral da ONU (Nações Unidas), António Guterres, condenou o "ataque de hoje às instituições democráticas no Brasil" após invasões de grupos radicais em Brasília.

"A vontade do povo brasileiro e das instituições do país deve ser respeitada", disse por meio de publicação no Twitter neste domingo.

Guterres afirmou estar confiante de que isso irá ocorrer. "O Brasil é um grande país democrático", completou.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.