Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Mulher rouba assento no avião, e passageiro se vinga chutando a cadeira dela durante todo o voo

Homem diz que mulher errou o lugar de propósito e avisou que não sairia porque 'já estava acomodada e queria dormir'

Internacional|Do R7

A mulher foi atormentada durante o voo inteiro sem poder reclamar
A mulher foi atormentada durante o voo inteiro sem poder reclamar A mulher foi atormentada durante o voo inteiro sem poder reclamar

Um homem decidiu se vingar selvagemente de uma passageira que roubou seu assento pré-reservado e se recusou a se levantar quando ele pediu.

Segundo o tabloide inglês The Mirror, o homem, que contou o caso no Reddit, um fórum online em que as pessoas podem desabafar de forma anônima, estava atravessando os Estados Unidos, da Flórida para a Califórnia, para fazer uma visita ao seu melhor amigo.

Leia também

O lugar escolhido por ele era o assento 23C, do corredor. Mas, ao chegar ao assento já comprado e pago, ficou surpreso ao descobrir que uma "mulher de vinte e poucos anos" tinha se sentado nele. A princípio, ele imaginou que havia algum tipo de confusão, então lhe mostrou sua passagem e educadamente explicou que ela "provavelmente estava no lugar errado".

Em resposta, ela simplesmente revirou os olhos e admitiu despreocupadamente que deveria estar no assento 24C, logo atrás daquele. "Depois de 15 segundos olhando para baixo, eu digo 'bem?' e ela responde que já está 'confortável' e não pretende se mudar do assento porque 'quer dormir'."

Publicidade

O passageiro, indignado, pensou: "É preciso ser muito idiota para deixar chateado alguém que vai se sentar no banco exatamente atrás de você".

Ele decidiu se vingar depois que a mulher não saiu do lugar

Sentando-se no assento vago atrás dela, o passageiro irritado começou a executar sua vingança.

Publicidade

"Eu defini um cronômetro silencioso no meu telefone que disparava a cada dois minutos para me lembrar de chutar o assento dela, violentamente.

"Toda vez que era necessário colocar o cinto de segurança, eu me levantava, agarrando o topo da poltrona, e puxava o assento da frente para trás. Uma vez acidentalmente (mas valeu a pena!) puxei o cabelo dela, colocado no encosto do assento."

"É seguro dizer que ela teve muita 'turbulência' extra e absolutamente não dormiu. Houve MUITOS olhares mortais e viradas de cabeça para mim. Porém eu apenas sorria e acenava. Eu sabia que ela também não diria nada porque de qualquer maneira nem deveria estar naquele assento."

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.