Internacional Mundo precisa retirar 1 bi de toneladas de CO2 do ar até 2025

Mundo precisa retirar 1 bi de toneladas de CO2 do ar até 2025

Estudo afirma que projetos atuais de redução de emissão não darão conta de atingir quantidade prevista no acordo de Paris

Reuters
Mundo precisa desenvolver projetos para retirar CO2 acumulado na atmosfera

Mundo precisa desenvolver projetos para retirar CO2 acumulado na atmosfera

Reprodução/Flickr

Projetos em desenvolvimento irão remover apenas uma fração da quantidade de dióxido de carbono (CO2) do ar que precisa ser extraída até 2025 para que a meta do acordo global climático de Paris seja cumprida e evitar aquecimentos catastróficos, mostrou um estudo.

Leia também: Nível de CO2 no ar é o maior desde início das medições há 63 anos

Mais de 190 países assinaram o Acordo de Paris, elaborado para limitar o aquecimento global a 1,5 grau Celsius, mas mesmo com promessas de grandes reduções de emissões, muitos cientistas acreditam que tecnologias de remoção serão necessárias para chegar ao objetivo.

"Sem ações para entregar uma gigatonelada (Gt) de emissões globais negativas até 2025, manter o aquecimento global dentro da meta do Acordo de Paris de 1,5°C não será possível", disse o relatório da Coalizão para Emissões Negativas (CNE, na sigla em inglês) e da consultoria McKinsey. 

Remoção do CO2

O documento aponta que os países irão precisar remover 1 bilhão de toneladas de CO2 da atmosfera até 2025 para cumprir a meta, e mais 1 bilhão de toneladas anualmente após isso.

Os atuais projetos em desenvolvimento podem remover apenas cerca de 150 milhões de toneladas de CO2 até 2025, o que é muito abaixo do necessário, segundo o relatório.

Entre os projetos de emissão negativa estão iniciativas de bioenergia com tecnologia para capturar e armazenar emissões de carbono, e tecnologias para capturar diretamente e armazenar emissões do ar e de soluções naturais climáticas, como o reflorestamento.

Atualmente a tecnologia para remoção é cara, e embora muitos países pelo mundo tenham iniciativas em andamento para precificar emissões de CO2, os preços ainda são muito baixos para incentivar novos projetos. 

O relatório diz que escalonar a tecnologia levaria a custos mais baixos, com uma média provável de custo entre 41 e 138 dólares por tonelada de CO2 removida até 2050.

Últimas