Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Número de mortos em terremoto na Turquia e Síria passa de 45 mil

Muitas pessoas continuam desaparecidas depois de 12 dias do forte terremoto; equipes ainda tentam localizar sobreviventes

Internacional|Do R7


Trabalho de resgate das vítimas segue após 12 dias do terremoto que atingiu a Turquia e a Síria
Trabalho de resgate das vítimas segue após 12 dias do terremoto que atingiu a Turquia e a Síria

Mais de 45 mil pessoas morreram no terremoto que atingiu a Turquia e a Síria, e o número deve aumentar, com cerca de 264 mil apartamentos na Turquia destruídos e muitos ainda desaparecidos, enquanto equipes de resgate procuram sinais de vida sob os escombros.

O número de mortos na Turquia é de 39.672 desde o terremoto, enquanto a vizinha Síria registrou mais de 5.800 mortes. O contagem da Síria não muda há dias.

Enquanto muitas equipes de resgate internacionais deixaram a vasta zona do terremoto, as equipes nacionais continuaram as buscas neste sábado (18) em edifícios destruídos, na esperança de encontrar mais sobreviventes que desafiem as probabilidades. Especialistas dizem que a maioria dos resgates ocorre nas 72 horas seguintes a um terremoto.

Resgate de família síria

Doze dias após o terremoto, trabalhadores do Quirguistão tentaram salvar uma família síria de cinco pessoas dos escombros de um prédio na cidade de Antakya, no sul da Turquia.

Publicidade

Três pessoas, incluindo uma criança, foram resgatadas com vida. A mãe e o pai sobreviveram, mas a criança morreu depois de desidratação, disse a equipe de resgate. Uma irmã mais velha e uma gêmea não sobreviveram.

"Ouvimos gritos quando estávamos cavando hoje, uma hora atrás. Quando encontramos pessoas vivas, sempre ficamos felizes", disse Atay Osmanov, membro da equipe de resgate, à Reuters.

Publicidade

Dez ambulâncias estavam à espera em uma rua próxima que estava bloqueada para permitir o trabalho de resgate.

Os trabalhadores pediram silêncio total e que todos se agachassem ou sentassem enquanto as equipes subiam até o topo dos escombros do prédio onde a família foi encontrada para ouvir mais sons por meio de um detector eletrônico.

Publicidade

Leia também

Enquanto os esforços de resgate continuavam, um trabalhador gritou em direção aos escombros: “Respire fundo se puder ouvir minha voz”.

Mais tarde, os trabalhadores interromperam as operações de busca quando as escavadeiras chegaram e subiram nos escombros para começar a limpá-los.

Sobrevivente localizado após 278 horas

Hakan Yasinoglu, na casa dos 40 anos, foi resgatado na província de Hatay, no sul da Turquia, 278 horas após o terremoto de magnitude 7,8 ocorrido na calada da noite em 6 de fevereiro, informou o Corpo de Bombeiros de Istambul.

Anteriormente, Osman Halebiye, 14, e Mustafa Avci, 34, tinham sido salvos na cidade histórica de Antakya, na Turquia, conhecida nos tempos antigos como Antioquia. Avci realizou uma chamada de vídeo para seus pais, que lhe mostraram seu bebê recém-nascido.

"Eu havia perdido completamente toda a esperança. Isso é um verdadeiro milagre. Eles me devolveram meu filho. Eu vi os destroços e pensei que ninguém poderia ser salvo com vida de lá", disse seu pai.

Organizações de ajuda humanitária dizem que os sobreviventes precisarão de ajuda nos próximos meses, com tantas infraestruturas cruciais destruídas.

Na vizinha Síria, já abalada por mais de uma década de guerra civil, a maior parte das mortes ocorreu no noroeste do país, uma área controlada por insurgentes que estão em guerra com o presidente Bashar al-Assad — um conflito que prejudicou os esforços para ajudar as pessoas afetadas pelo terremoto.

Milhares de sírios que buscaram refúgio na Turquia após a guerra civil em seu país voltaram para sua casa na zona de guerra — pelo menos por enquanto.

Número incerto de desaparecidos

Nem a Turquia nem a Síria disseram quantas pessoas ainda estão desaparecidas após o terremoto.

Entre as famílias que ainda esperam resgatar parentes na Turquia, há uma raiva crescente sobre o que consideram práticas de construção corruptas e um desenvolvimento urbano profundamente falho que resultou na desintegração de milhares de casas e empresas.

Um desses edifícios foi o Ronesans Rezidans (residência renascentista), que tombou em Antakya, matando centenas de pessoas.

"Diz-se que era à prova de terremotos, mas você pode ver o resultado", disse Hamza Alpaslan, 47, cujo irmão morava no prédio de apartamentos. "Está em péssimas condições. Não tem cimento nem ferro de verdade. É um verdadeiro inferno."

A Turquia prometeu investigar qualquer pessoa suspeita de responsabilidade pelo desabamento de edifícios e ordenou a detenção de mais de cem suspeitos, inclusive construtores.

Na quinta-feira, as Nações Unidas solicitaram ajuda de mais de 1 bilhão de dólares em fundos para a operação de socorro turca e lançaram um apelo de 400 milhões de dólares para os sírios.

Veterinários resgatam bezerro preso sob escombros na Turquia

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.