Meio Ambiente

Internacional População do Kentucky se organiza para ajudar vítimas dos tornados

População do Kentucky se organiza para ajudar vítimas dos tornados

Baseados na fé e no amor ao próximo, grupos religiosos se unem para cuidar de desabrigados em igrejas da cidade de Mayfield

AFP
Cidades do Kentucky foram arrasadas por tornados que deixaram mais de 70 mortos

Cidades do Kentucky foram arrasadas por tornados que deixaram mais de 70 mortos

Scott Olson/Getty Images North America/Getty Images via AFP

Em Mayfield, arrasada pelos tornados do fim de semana, os moradores dizem que a fé cristã os impulsiona a retirar os escombros, coletar suprimentos e transformar igrejas em refúgios para aqueles que ficaram sem casa, após uma das tempestades mais devastadoras na história dos Estados Unidos.

A pequena cidade, que fica no sul do estado do Kentucky, faz parte do chamado "cinturão da Bíblia", uma faixa do sul do país onde a vida é voltada para a igreja.

No domingo (12), moradores dessa cidade de 10 mil habitantes mencionaram a fé como uma força motriz para seguirem em frente e se ajudarem mutuamente na retirada dos escombros deixados pela passagem dos tornados.

Vanessa Cooper, de 40 anos, estava tentando resgatar o que podia do apartamento da mãe, do qual agora restam apenas duas paredes em pé.

Perto dali, três amigos despejaram os escombros retorcidos, enquanto Cooper vasculhava entre os móveis danificados. "Algumas pessoas da minha igreja vieram ajudar [...] Significa muito para mim", disse ela, acrescentando que não poderia ter feito tudo sozinha.

"A solidariedade é algo natural nas comunidades pequenas", afirmou Cooper, quando uma vizinha lhe perguntou se precisava de algo.

"Não tenho nada"

Sentado em uma cadeira em frente ao que restou da casa onde mora, Marty Janes olhava o vazio sem compreender, enquanto os voluntários trabalhavam ao redor. Não muito longe do centro de Mayfield, o bairro em que vive foi devastado pelo tornado. Uma árvore caiu na varanda do imóvel, o teto desabou, e as paredes foram arrancadas.

"Estou arrasado. É impressionante", diz Janes à AFP. Ele ficou preso nos fundos da casa. Sua esposa, Theresa, estava no quarto quando o teto caiu.

Depois do resgate pelos bombeiros, o casal ficou separado durante dois dias, enquanto Theresa estava hospitalizada, conta Janes, com lágrimas nos olhos. Ele não queria que a esposa visse os danos causados à casa, agora inabitável.

"Não tenho nada", desabafou esse homem de 59 anos, que conseguiu recuperar apenas uma foto antiga da graduação universitária e duas bandeiras americanas, que colocou na frente da casa em ruínas.

Os amigos vieram ajudá-lo a limpar, mas a tarefa é imensa. Jovens voluntários fiéis da igreja também foram ao resgate, cortando as paredes internas com serras e limpando os cômodos de mobílias agora inutilizáveis.

Diante de uma grande quantidade de pessoas sem casa, vários locais de culto agora servem de refúgio. Para Randy Guennel, encontrar abrigo na igreja foi um milagre. Esse aposentado de 79 anos sobreviveu dois dias com a esposa doente em casa.

No domingo, escreveu "preciso de ajuda" em uma caixa de pizza e a colocou na caixa de correios. "Algumas pessoas maravilhosas desta igreja pararam e nos trouxeram para cá", conta à AFP, afogando-se em soluços.

Últimas