Minas Gerais Avô é preso suspeito de estuprar e engravidar neta de 10 anos em MG

Avô é preso suspeito de estuprar e engravidar neta de 10 anos em MG

Criança mora em Araxá (MG) e está no sétimo mês de gestação; suspeito disse aos policiais que "é homem e tem fraquezas"

  • Minas Gerais | Juliana Leal, da TV Paranaíba

Criança está no sétimo mês de gestação

Criança está no sétimo mês de gestação

Reprodução / Record TV Minas

Um homem de 52 anos foi preso suspeito de estuprar e engravidar a neta, de 10 anos, em Araxá, a 370 km de Belo Horizonte. A vítima já está no sétimo mês de gestação.

O caso foi denunciado pela mãe da criança e filha do suspeito após notar mudanças no corpo da criança. Desconfiada, a mulher comprou um teste de gravidez e, após o exame apresentar o resultado positivo, ela decidiu conversar com a filha.

Segundo a mãe da vítima, a criança teria ficado abalada com a pergunta, mas relatou que havia sido abusada pelo avô na casa da família, nos momentos em que a mãe saía da residência para trabalhar. Logo após descobrir o caso, ela acionou a Polícia Militar. A delegada Paula Lobo esclarece que o suspeito não foi preso de imediato, já que não havia mais situação de flagrante.

"A Polícia Civil instaurou o inquérito e pediu a prisão preventiva do suspeito, já que ele morava na mesma casa que a vítima e a mãe não possuía condições financeiras de se mudar de lá. Além disso, a presença dele causava temor para a criança."

O suspeito foi preso preventivamente na última sexta-feira (1º) e deve permanecer no sistema prisional até a conclusão do inquérito. Segundo a delegada, no momento da detenção o suspeito confessou ter abusado sexualmente da criança e disse que era apenas uma “brincadeira entre avô e neta que deu errado”. Ele também teria dito que “é homem e possui fraquezas”.

— Ele falou que os abusos também aconteciam mesmo com outras pessoas dentro da casa. Segundo ele, os abusos duravam dois minutos, que seria o “tempo necessário para ele se resolver”.

A criança está recebendo acompanhamento médico e psicológico. Além disso, o Ministério Público foi acionado para oferecer à família a possibilidade de que o bebê seja entregue para a adoção legal.

Últimas