Minas Gerais Candidato a vereador é suspeito de matar a mulher no Sul de Minas

Candidato a vereador é suspeito de matar a mulher no Sul de Minas

Segundo a polícia, Adílio Gomes e a companheira discutiram por causa da porta de uma geladeira na cidade de Bandeira do Sul, suspeito é procurado

  • Minas Gerais | Sarah Muller, da Record TV Minas

A PM (Polícia Militar) está a procura de Adílio Gomes, de 40 anos, candidato a vereador pelo PSDB, suspeito de matar a mulher a facadas dentro de casa, na cidade de Bandeira do Sul, a 323 km de Belo Horizonte, na noite desta segunda-feira (19).

A corporação recebeu o chamado por volta das 19 horas para atender uma ocorrência de violência doméstica na casa onde o casal morava, no Centro da cidade. Foi a filha da vítima, de 18 anos, que acionou a polícia. 

Segundo os militares, ao chegarem no endereço, os agentes encontraram o corpo de Roberta Camile de Araujo Silva, de 34 anos, caído no quintal da residência com vários ferimentos causados por uma faca.

Casal havia discutido momentos antes do crime

Casal havia discutido momentos antes do crime

Reprodução/Record TV Minas

Relatos de parentes da vítima à PM revelaram que o casal teria passado a tarde em um sítio onde comemoravam o aniversário de uma das três filhas que tinham e também da mãe de Gomes. 

De acordo com os parentes, o casal se desentendeu por causa de uma porta de geladeira que estava aberta. A família contou que depois que voltaram para a casa onde moravam, a discussão teria continuado. 

De acordo com a filha, a jovem estava no quarto quando ouviu a mãe gritar. Ela correu até o quintal e encontrou Roberta ferida. A avó da menina, mãe do candidado a vereador, também estava na casa. Após ver o que tinha acontecido, ela passou mal e precisou de atendimento médico. 

De acordo com a polícia, a mulher levou 13 facadas. Ela foi atingida na barriga, nas costas, nas pernas e em uma das mãos. A faca usada no crime foi encontrada perto da casa da vítima. O principal suspeito do crime, Adílio Gomes, continua foragido.

O R7 entrou em contato com o PSDB (Partido Da Social Democracia Brasileira) para comentar sobre o ocorrido, mas aguarda retorno. A reportagem também tentou entrar em contato com o celular de Adílio Gomes, mas as chamadas não foram atendidas. Nenhum advogado do candidato foi localizado.

Últimas